A NOSSA LOJA VIRTUAL DE BIQUÍNIS É A MAIOR DO MUNDO.ATACADO E VAREJO CLIQUE AQUI.

A NOSSA LOJA VIRTUAL DE BIQUÍNIS É A MAIOR DO MUNDO.ATACADO E VAREJO CLIQUE AQUI.

quinta-feira

Deve-se começar o fácil como se fosse difícil e o difícil como se fosse fácil

Assim, não se fica confiante demais,nem desanimado.
Não existe nada pior do que dar algo por feito.
É o que basta para não fazê-lo.
O esforço torna plano o caminho impossível.Nos momentos mais difícieis,não se deve pensar e sim agir.
A visão do perigo paralisa.

sábado

Aforismos de Baltasar Gracián

                                      Baltasar Gracián

 Repartir o conhecimento

                Uma das maiores alegrias que um  amigo pode ter  é presentear alguém de quem gosta ou respeita com o conhecimento.
                                                    Marinho Guzman.


Quem foi Baltasar Gracián?
                                      
 Escritor espanhol, jesuíta, escreveu várias obras entre elas
 A Arete da Prudência, em 1647.
A obra deveria ser um guia para  os homens do seu tempo para ajudar a   “desemaranhar nos labirintos das intrigas, das dúvidas e das maledicências cotidianas”, isso segundo Domenico de Masi, o laureado escritor que edita agora a obra do mesmo nome, com uma coletânea de 150 dos 300 aforismos originais, mantendo na medida do possível sua originalidade com pequenas atualizações para facilitar a leitura. Editora Sextante 2003, 3a.a edição.



  BALTASAR GRACIÁN   ALFABÉTICA   COM OS AFORISMOS


A sorte e a fama (s/n)


O que uma tem de inconstante, a outra tem de firme. A sorte ajuda durante, e a fama, depois. Uma age contra a inveja, a outra contra o esquecimento. A fortuna é desejada e às vezes construída com nossos esforços, mas o renome exige trabalho constante. A fama foi e é irmã de gigantes, move-se sempre nos extremos: ou monstros ou prodígios, ou rejeição ou aplauso.

Aprender a usar o desprezo (s/n)

                         Uma maneira astuta de conseguir as coisas é desprezando-as. Quando se procura por elas, elas não estão lá, e mais tarde, sem que tentemos, elas vêm correndo. As coisas terrenas são as sombras  das eternas, e se comportam como tal; fogem quando as perseguimos e nos perseguem quando fugimos delas. O desprezo é a mais política das vinganças. Uma máxima sábia: nunca se defenda com a caneta, pois ela deixa uma pista e glorifica os rivais, ao invés de puni-los por sua insolência. Os indignos sagazmente se opõem aos grandes homens: tentam ganhar fama de modo indireto, sem merecê-la de fato. Seriam desconhecidos se seus excelentes oponentes não fizessem caso deles. Não existe vingança maior que o esquecimento: enterrar os outros no pó da própria insignificância. Tolos descarados tentam tornar-se imortais incendiando as maravilhas do mundo. Uma maneira de calar falatórios  vulgares é ignorando-os. Contestá-los causa prejuízo. Dar-lhes crédito traz descrédito. Contra  a emulação, a complacência; pois a sombra do desdouro, ainda que não obscureça de todo a maior qualidade, diminui o brilho.


Agir com intenção, com primeira e segunda intenções 28


A sabedoria e a honestidade 30
São a fonte do sucesso abundante. Um bom entendimento casado com má intenção sempre foi uma monstruosa violação. A intenção maligna é o veneno da perfeição e, apoiada pelo saber, corrompe com mais sutileza. Desafortunada a eminência que trabalha na maldade!Conhecimento sem bom senso é uma dupla loucura.

Variar o modo de agir 31
Assim se confunde os outros, especialmente os competidores. Não se deve magir sempre igual, pois a rotina se tornará uma armadilha e as ações serão antecipadas e frustradas. É mais fácil matar a ave que tem um vôo uniforme que aquela que troca a sua trajetória. Também não se deve usar os mesmos truques,pois a armadilha será descoberta quando repetida.A malícia espreita a ocasião, é preciso grande sutileza para despistá-la.O jogador astuto nunca move a peça que seu oponente espera, menos ainda a que ele deseja.


O esforço e a capacidade 32


Não há excelência sem ambos, e se estão juntos o resultado é ainda melhor. A mediocridade com esforço consegue mais que a superioridade sem ele.A reputação se compra com trabalho:pouco vale o que pouco custa.O esforço quase sempre depende do temperamento.Pode-se entender alguém que queira ser medíocre numa função mais alta a se destacar numa ocupação humilde.Mas não há desculpa para quem se contenta em ser mediano num cargo inferior,podendo ser excelente no mais alto.Necessita-se,portanto,de natureza e arte,junto com aplicação.


Não começar com muita expectativa 33


O homem em seu tempo 34
Os homens extraordinários dependem da época em que vivem para se destacar. Nem todos tiveram a época que mereciam e muitos que tiveram não conseguiram desfrutá-la.
Alguns foram dignos de dias melhores, mas nem sempre o que é bom triunfa sempre. As coisas têm seu tempo, inclusive as pessoas eminentes dependem do gosto da época. A sabedoria, leva vantagem é eterna.Se este não é seu tempo, muitos outros o serão.

A arte da sorte 35

A boa sorte tem suas regras. Nem tudo é acaso para o sábio; o esforço pode ajudar a sorte. Alguns se contentam em colocar-se com toda confiança às portas da sorte e esperar que ela faça algo. Outros, com mais tino, entram por essas portas e fazem uso de uma razoável audácia que, junto com sua virtude e coragem, pode atingir a boa sorte e obter seus benefícios. Não há, porém, outro caminho a não ser o da virtude e da prudência, porque não há boa ou má sorte, apenas prudência ou imprudência.


A arte de viver muito 78

É viver bem. Duas coisas acabam rapidamente com a vida: a tolice e o vicio. Uns perdem a vida por não saber cuidá-la e outros por não querer fazê-lo. Assim como a virtude é sua própria recompensa, o vício é o seu próprio castigo. Quem vive no vício encontra um fim duas vezes mais rápido: acaba com a vida e com a honra. Enquanto quem vive na virtude nunca morre. A integridade de espírito é transmitida ao corpo: uma boa vida é plena não só em intensidade, mas também em extensão.

Agir somente se não houver duvidas 79.

 Se quem age suspeita que esta cometendo um equívoco, quem observa terá certeza do erro, principalmente se cor um rival. Se, no calor da paixão, toma-se uma decisão apressadamente e com dúvidas, depois a tolice feita será condenada. É perigoso fazer algo de que a própria prudência duvida. Nesses casos, é mais seguro não fazer nada. A sensatez não joga com as probabilidades, anda sempre á luz da razão. Como pode dar certo uma idéia que logo depois de concebida já desperta receios? E se a decisão tomada sem dúvida interior costuma sair mal, o que esperar da que começou com duvidas razoáveis e justificados maus prognósticos?


        Caráter e inteligência 19

São os dois pólos para exibir as qualidades de um homem. Um sem o outro é boa sorte pela metade. Não basta ser inteligente, é preciso também ter predisposição de caráter. A má sorte do tolo é desconsiderar a sua condição, ocupação, vizinhança e amizades.

Começar com cuidado                           69

A tolice sempre entra de roldão, pois todos os tolos são audazes. A mesma estupidez que os impede de perceber o perigo depois não lhes deixa ter a sensação de fracasso. Mas a prudência chega com grande tato. A observação e a cutela sãos seus batedores, abrindo caminho para que possa avançar sem perigo. Qualquer ação irrefletida está condenada pela discrição, ainda que às vezes se salve pela sorte. A sagacidade deve estudar o terreno e a prudencia conduzir à terra firme. Hoje há muitos perigos no trato humano e convém explorar o caminho com cuidado.


Criar  expectativas 20

Cercar-se de pessoas inteligentes 29
Os poderosos tem muita sorte em ter ao seu lado homens de grande inteligência, capacitados para resolver os problemas causados pela ignorância e que lutam por eles nas situações mais difíceis. Servir-se de sábios é uma grandeza especial. Supera o gosto bárbaro de Tigrano, que fazia dos reis vencidos seus serviçais. É muito melhor outro tipo de domínio: transformar, por uma arte especial, aqueles que a natureza dotou de inteligência superior em nossos servidores. Há muito o que conhecer, a vida é curta e não se vive se não se sabe. É portanto, uma habilidade especial aprender sem esforço, aprender muito de muitos, sabendo tanto como todos. Se você conseguir isso, será capaz de falar por muitos em uma reunião, pois por sua boca vão falar tantos sábios quantos foram os que o prepararam. Conseguirá assim, com suor alheio, fama de oráculo. Aqueles que não puderem ter a sabedoria como serva devem tê-la ao menos como companheira.




Conhecer os felizardos para acolhê-los, e os azarados para evitá-los 42
Conhecer sua boa estrela 137
Conhecer sua melhor qualidade 43
Cuidado com a antipatia 48
Cuidado para que as coisas saiam bem 60
Começar com cuidado 69
Cultura e refinamento 77
Conhecer a natureza dos empregos 85
Capacidade inescrutável 81
Conquistar a boa vontade dos outros 89
Condição elegante 99

Conhecer seu pior defeito 145


                             Ninguém vive sem o contraponto da melhor qualidade. Se o pior defeito for favorecido, ele nos dominará como um tirano. Devemos declarar-lhe guerra. O primeiro passo é descobri-lo: conhecido será vencido. Para ser senhor de si, é preciso refletir sobre si mesmo. Vencido esse defeito, os outros acabarão.



Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida
161


                                Para saber das suas intenções. Se as causas são conhecidas, se conhecem as  e conseqüências delas e se deduzem as intenções. O pessimista é agoureiro, e o maledicente sempre encontra  culpas. Sempre imaginam o pior. Como não vêem as coisas boas do presente, anunciam o mal futuro. O apaixonado vê as coisas diferentes do que são, porque é movido pela paixão, não pela razão. Cada um fala segundo suas preferências e seu humor, e todos estão longe da verdade. É preciso decifrar os rostos e  interpretar os sinais da alma, Assim se conhecerá o tolo porque está sempre rindo e o falso porque nunca ri. Cuidado com o perguntador, seja porque é indiscreto, seja porque se fixa nos defeitos. Não espere muito dos feios, porque costumam se vingar da natureza por tê-los favorecido tão pouco. A tolice é diretamente proporcional à beleza.


Descobrir o bom de cada coisa (s/n)


                       É a marca do bom gosto. A abelha logo acha a doçura para a colméia, e a víbora, a amargura para o veneno. O mesmo acontece com os gostos: uns preferem o melhor e outros o pior. Em tudo há algo de bom, especialmente nos livros, pois são resultado da reflexão. O caráter de alguns é tão desgraçado que, entre mil qualidades, encontrarão o único defeito, e o criticarão e o aumentarão. Estes recolhem as sujeiras das vontades e das inteligências, sobrecarregando-se de infâmias e de defeitos, não por serem perspicazes, mas como castigo por seu mau discernimento. Levam uma vida péssima, pois só se alimentam de amarguras e imperfeições. Muito melhor é o gosto daqueles que, entre mil defeitos, logo encontrarão a única perfeição que escapou à boa sorte.


Dar as coisas seu devido valor 44


     Deixar os outros com fome 167

 Deixe um resto de néctar nos lábios. O desejo é a medida da estima. É bom aliviar a sede física , mas não sacia-la: o bom, se é pouco, é bom duas vezes. Perde-se muito na segunda vez. As grandes doses de agrado são perigosas porque levam a se desprezar a mais eterna superioridade. A única regra para agradar é pegar o apetite com fome. Um desejo impaciente é mais estimulante do que se fartar de prazer.Uma felicidade difícil de se conseguir é desfrutada em dobro.




Deve-se começar o fácil como se difícil fosse e o difícil como se fosse fácil 139
Em uma palavra ser um santo 168


Estar no auge da perfeição 23

Não se nasce feito.Cada dia vamos nos aperfeiçoando no pessoal e no profissional, até chegar ao ponto mais alto, à plenitude de qualidades, à eminência. Isto se conhece no gosto refinado, na pureza da inteligência, na maturidade do julgamento, na retidão da vontade. Alguns nunca chegam a ser completos, sempre lhes falta alguma coisa. Outros demoram para chegar lá. O homem "acabado"-
sábio em atos e palavras- é aceito, e inclusive desejado, no seleto grupo dos discretos.


Evitar as vitórias sobre  o chefe 24
Encontrar o ponto fraco de cada um 38
E melhor intenso que extenso 39
Escolher um modelo elevado 66
Fugir dos assuntos difíceis e perigosos 49
Ganhar fama de cortês 93
Homem universal 80

Metade do mundo ri da outra metade, e ambas são tolas 83


Dependendo da opinião, ou tudo é bom, ou tudo é ruim. Aquilo que uns perseguem outros evitam. Por isso, quem deseja regular tudo segundo seu critério é um tolo insuportável. A perfeição não depende de uma única opinião: os gostos são tantos quantos os rostos, e igualmente variados. Não existe defeito que não seja apreciado por alguém. Não desanime se algumas coisas não agradam a uns, pois não vão faltar outros que as apreciem. O aplauso também não deve ser motivo de orgulho, porque sempre vão existir condenações. A regra para a verdadeira satisfação é a aprovação das pessoas conceituadas, que tem voz e voto nessas matérias. Não se vive de um só critério, nem de um só costume, nem de um só século.




                         Moderação no julgar 163



                                        Cada um pensa conforme lhe convém e apresenta razões para suas caprichosas opiniões. A maior parte dos homens põe a paixão na frente do juízo. Quando duas pessoas sustentam posições contrarias, cada uma pensa ter razão. Mas a razão é fiel e não tem duas caras. O sábio deve agir com cautela em assuntos tão delicados, e sua própria dúvida irá corrigir o julgamento inicial sobre o comportamento alheio. Ao se colocar no lugar do outro e examinar seus motivos, não condenará nem se justificará tão cegamente.







Natureza e arte, matéria e elaboração 27

   Não começar com muita expectativa. 33

                                 É comum ver que tudo que recebe muitos elogios antes de acontecer não alcançará depois o sucesso esperado. O real nunca pode alcançar o imaginado, porque imaginar a perfeição é fácil, mas atingi-la é muito difícil. O casamento da imaginação com o desejo sempre concebe as coisas muito melhores do que elas são. A excelência -por maior que ela seja- não é suficiente para satisfazer a idéia inicial, Por isso, ao criar uma expectativa exorbitante, causa-se mais decepção do que admiração.
 A esperança é uma grande falsificadora da verdade. A sensatez deve refreá-la, procurando que o gozo do real supere o desejo do imaginário. Os inícios honrados servem para despertar a curiosidade e não para comprometer a tentativa final. O resultado é melhor quando a realidade supera o que se pensou. Esta regra não serve para coisas ruins. Quando se exagera um mal e a realidade desmente a imaginação, o que a princípio parecia muito ruim chega a ser tolerável.



Não ter defeitos 37
Nunca perder o respeito por si mesmo 52
Nunca perder a compostura 53
Nunca se entregar ao mau humor 61
Não ser vulgar em nada 40
Nunca exagerar 46
Não ser inacessível 65
Não ficar de brincadeiras 67
Não ser cansativo 86
Não demonstrar satisfação consigo mesmo 87
Não esperar o sol se pôr 88




Não competir com quem não tem nada a perder 123.

A luta seria desigual. O outro começa com desembaraço porque perdeu até a vergonha.
 Não tem mais o que perder, por isso se lança de cabeça em qualquer despropósito.
Nunca exponha sua inestimável reputação a um risco tão cruel . Conquistá-la levou muitos anos, para perdê-la em assuntos sem importância.
Um mau vento pode gelar o suor do esforço.
Por ter muito a perder, o homem honesto se detém.
Preocupado com sua reputação, observa o oponente e age com cautela para colocar o prestígio a salvo.
Nem sequer com a vitória pode-se ganhar aquilo que se  perdeu ao se correr o risco de perder.



Nunca competir 91


Não ser registro dos erros alheios 97



Nem amar nem odiar para sempre 143


Trate os amigos de hoje como se pudessem se tornar os inimigos de amanhã, inclusive os piores. Como a experiência mostra que isso pode acontecer, deve-se estar prevenido. Os desertores da amizade não devem receber armas, pois farão com elas a pior guerra. Os inimigos, ao contrário, devem ter sempre uma porta aberta para a reconciliação. A porta da cortesia é a mais segura. Às vezes uma vingança consumada vira um tormento, e o prazer pelo dano causado ao inimigo se torna motivo de pesar.




Não seguir nunca, por obstinação, o pior partido...109


                   Só porque o competidor se adiantou e escolheu o melhor. Assim, você começa a luta já vencido, e depois será necessário render-se. O bem nunca se vingará com o mal. O oponente foi astuto ao antecipar-se escolhendo o melhor, e você seria tolo ao tomar o pior partido para se defender.
Ser teimoso nas ações  é mais perigoso do que em palavras porque corre-se mais riscos ao fazer do que ao falar.
É estupidez própria dos obstinados não se dar conta da verdade nem da utilidade, por estarem mais preocupados em contradizer e lutar.
O homem prudente está sempre do lado da razão , não da paixão.
Ou ele se previne ou corrige depois a rota.
Se o oponente é tolo, a própria insensatez o fará mudar de lado, mesmo que seja para tomar o pior partido.
Para fazê-lo abandonar a melhor posição, o único remédio é aderir à sua escolha.
A tolice e a teimosia farão com que abandone a causa e o levarão à ruína.









Não explicar as idéias com demasiada clareza 155

A maioria das pessoas não aprecia aquilo que entende, mas venera o que não compreende. Para ter valor, as coisas devem ser difíceis. Sempre se deve parecer mais sábio e prudente do que o necessário para o interlocutor. Mas é com moderação, e não com excesso, que se ganha reputação. Os especialistas valorizam muito a inteligência, mas para a maioria das pessoas, é necessário colocar-se numa posição superior: assim elas não tem espaço para a crítica, pois estão muito preocupadas procurando entender. Muitos elogiam o que não podem explicar. O culto lhes parece um mistério e o elogiam porque ouvem outros fazê-lo.






Não  se deixar levar pela primeira impressão 146


                       Alguns se casam com a primeira informação: as outras são concubinas. E, como a mentira sempre se adianta, a verdade não tem lugar depois. Nem a vontade, nem a inteligência devem se satisfazer com a primeira impressão: indica pouca profundidade.
 Algumas pessoas são como uma vasilha nova, que fica impregnada com o primeiro cheiro, tanto do mau licor como do bom.
 É perigoso que os outros conheçam essa limitação, pois dá margem a estratagemas maliciosos. Os mal-intencionados se antecipam e se pintam da cor da credulidade. Sempre deve haver lugar para um segundo exame. Deixe uma porta aberta à segunda e à terceira informações. Impressionar-se facilmente demonstra incapacidade e está próximo da paixão


Não  ser somente dócil 151


Não começar a vida por onde se deve terminar 153



                        Algumas pessoas descansam no princípio e deixam o trabalho para o fim.
 O essencial deve vir primeiro e depois, se houver espaço, o acessório.
Outras querem triunfar antes de lutar. Alguns começam aprendendo o que menos importa e os estudos úteis e importantes são deixados para o fim da vida.
Outros se orgulham quando nem bem começaram a fazer fortuna. O método é essencial para saber e poder viver.







Não podendo se cobrir com pele de leão, cubra-se com a pele de raposa 144
Não se descuidar nunca 157


Não ser o único a criticar o que agrada a muitos 159


                        Aquilo que agrada a muitos deve ter algo de bom. Ainda que não se entenda, que se aproveite. A singularidade é sempre odiosa e quando está errada, é ridícula.
Desacredita mais o autor da crítica do que o seu objeto, deixando-o sozinho com seu mau gosto.
Aquele que não sabe discernir o que há de bom nas coisas deve dissimular sua inteligência limitada.
Não se deve criticar sem consideração: o mau gosto normalmente nasce da ignorância.

O que todos dizem ou é, ou será.




Não fingir, mas agir 164
No céu tudo é alegria, no inferno tudo é pesar 141
Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar 26



O esforço e a capacidade 32


                  O homem em seu tempo 34

Os homens extraordinários dependem da época em que vivem para se destacar. Nem todos tiveram a época que mereciam e muitos que tiveram não conseguiram  desfrutá-la. Alguns foram dignos de dias melhores, mas nem sempre o que é bom trunfa sempre. As coisas têm seu tempo, inclusive as pessoas eminentes dependem do gosto da época. A sabedoria, porém, leva vantagem; é eterna. Se este não é seu tempo, muitos outros o serão.


O homem de valores profundos 50
O saber e o valor contribuem em conjunto par a grandeza 21
O fracasso está em unir apreço e afeto 162

Pensar adiante(s/n)

A sorte se faz com horas de previsão. Para os prevenidos não há circunstâncias ruins e para os preparados não há apertos. O raciocínio não deve retornar até a ocasião crítica, mas deve se antecipar a ela. Com pensamentos cuidadosos, pode-se prevenir os tempos mais difíceis. É melhor dormir sobre as preocupações do que ficar acordado por causa delas. Alguns fazem e depois pensam;procuram mais desculpas do que conseqüências. Outros não pensam nem antes nem depois. Toda a vida deve consistir em pensar para acertar o rumo. A  prevenção e o pensamento cuidadoso são um bom recurso para viver antecipadamente.



Permitir-se pequenos deslizes 74
Previnir os boatos 76
Preparar-se para os tempos de crise 90
Pensar duas vezes 100



Perseguir a vitória 150
                                      

Alguns se esgotam ao começar e não acabam nada. Começam, mas não persistem: têm um caráter instável. Nunca recebem elogios porque nada concluem. Terminam sempre por abandonar o começado. Uns acabam as coisas, outros acabam com elas. Suam até superar a dificuldade, mas se contentam em tê-la vencido, mas não sabem aproveitar a vitória; demonstram que podem, mas não sabem querem. É um defeito, não importa se por erro de cálculo ou inconstância . Se a empreitada é boa, por que não se termina? E se é ruim, por que se começou? O homem sagaz não só espreita a perdiz- vai à caça.



Pessoas de grandes e majestosas qualidades 165





Relacione-se com quem tenha algo a ensinar  26

Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar.
O trato amigável deve ser uma escola de erudição, e a conversa, um ensinamento culto. Deve-se fazer com que seus amigos sejam também seus melhores mestres, combinando o útil da aprendizagem com os gostos da conversa.
Deve-se alternar o prazer com a instrução. Os aplausos gratificam aqueles que falam, e os que ouvem são recompensados com o ensinamento. Normalmente a própria conveniência nos leva a conversar com outras pessoas- e assim enobrecemos. O homem prudente freqüenta as casas dos homens eminentes, pois mais que palácios da vaidade são cenários de gradeza. Existem senhores com reputação de prudentes que são oráculos de grandeza por seu exemplo e modo de agir. Além disso, o grupo de seus acompanhantes é uma refinada academia de sensatez, tato e engenho.




Refletir é mais seguro 57
Renovar o brilho 73




Saber escutar quem sabe (s/n)


Não se pode viver sem entendimento, próprio ou emprestado. Muitas pesssoas não tem consciência do que não sabem, e outras pensam que sabem sem saber. Os erros da estupidez são irremediáveis, pois, como os ignorantes não se consideram assim, não procuram aquilo que lhes falta. Alguns seriam sábios se não acreditassem  sê-lo.
Por isso, os poucos oráculos da prudência vivem ociosos porque  ninguém os consulta.
Pedir conselho não diminui a grandeza nem a capacidade de ninguém. Ao contrário, fortalece a reputação.

É bom ouvir a razão para evitar o ataque da má sorte.




Ser pessoa de conversa agradável e saborosa 36
Ser integro 41
Sorte e fama 25
Saber se retirar quando se está ganhando 45





Sentir e expressar-se 47



Querer ir contra a corrente não desfaz os enganos e é perigoso. Somente Sócrates podia fazê-lo. Discordar é considerado uma ofensa porque significa condenar a opinião alheia. Os contrariados se multiplicam tanto em consideração àquele que foi criticado quanto àqueles que o aplaudiam. A verdade é de poucos, mas o engano é tão comum quanto vulgar. Não se conhece o sábio pelo que fala em público, pois não o faz com sua voz, mas com a da tolice comum, por mais que discorde dela interiormente. A pessoa sensata foge de ser desmentida e de contradizer os outros: rápida na censura, é lenta para torná-la pública.
O sentir é livre, não se pode nem se deve violentá-lo.

 O homem prudente refugia-se no silêncio e se mostra a poucos e sábios. 





Ser sensato e observador 51
Ser diligente e inteligente 54
Saber esperar 55
Saber improvisar 56




           

                      Saber retirar-se                     58
Na casa da sorte,quem entra pela porta do prazer sai pela porta da tristeza, e vice-versa. Atenção ao desfecho: deve-se estar mais  atento a um final feliz do que a uma entrada triunfal. É freqüente que as pessoas de sorte tenham inícios favoráveis e fins trágicos. O que importa não é receber aplausos na entrada- o que é muito comum-, mas continuar a ser aplaudido na saída, fazer falta ao partir, o que é mais raro. Poucas vezes a sorte acompanha os que saem: é educada com os que chegam e descortês com os que se vão.










Saber usar a verdade 140
Saber evitar os desgostos 59
Saber negar 62
Ser equilibrado por inclinação natural ou por gosto 63



Ser claro 142
Não só com palavras claras, mas com mente lúcida. Algumas pessoas pensam bem, mas expressam mal. Sem clareza, os filhos da alma (decisões e idéias) não saem à luz. Algumas pessoas se parecem com essas vasilhas que absorvem muito, mas dão pouco. Outras, ao contrário, dizem muito mais do que sentem. O que a resolução é para a vontade, a explicação é para o entendimento: são duas grandes habilidades. Os escritores claros são aplaudidos, e os confusos são venerados por não serem entendidos. Às vezes é conveniente ser obscuro para não ser vulgar. Mas, como os que escutam vão entender, se os que falam não têm idéia clara do que dizem?


Ser decidido 64
Saber adaptar-se 68
Saber usar os inimigos 75

Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro 160

Desse modo, ainda eu não seja considerado inteligente, passará confiança. Aquele que sabe pode se arriscar a fazer o que quer, mas saber pouco e arriscar-se é jogar-se voluntariamente no precipício. Quando se sabe pouco, é melhor seguir pela estrada principal. Deve-se manter o caminho reto e não faltará o caminho firme. Em todos os casos, sabendo ou não sabendo, a segurança é mais prudente que a singularidade.




Saber manter a expectativa 82



Ser um pouco negociante 147

                         A teoria deve estar unida à prática. É fácil enganar um sábio, porque conhece até o mais extraordinário, mas ignora o mais necessário, as coisas comuns da vida. O estudo do mais sublime não deixa lugar para o mais simples. Ignoram o primeiro que deveriam saber, o que todos dominam. Por isso, ou são admirados ou são considerados ignorantes pelas pessoas superficiais. O homem sábio deve tentar ser um pouco negociante, o suficiente para não ser enganado nem objeto de riso. Que seja prático, pois, ainda que isso não seja o ponto alto da sua vida, é muito útil. De que serve o conhecimento se não é prático? O verdadeiro saber de hoje é saber viver!




Ser prático na vida 94
Ser elegante no falar e no agir 95
Saber avaliar 136
Saber a qualidade que falta 149







Saber um pouco mais e viver um pouco menos 152


                                          Há quem pense o contrário. Melhor é o ócio bem empregado do que o negócio. Tudo o que possuímos é o tempo, único bem de quem não tem nada. A vida é preciosa demais para ser desperdiçada tanto em trabalhos mecânicos quanto em excesso de tarefas sublimes. Não devemos nos sobrecarregar nem de ocupações, nem de rivalidades: isso é maltratar a vida e sufocar o ânimo.
Alguns acreditam que também se deve evitar o saber, mas, se não se sabe, não se vive.






Saber esquecer 156

Ser um pouco negociante 147



                         A teoria deve estar unida à prática. É fácil enganar um sábio, porque conhece até o mais extraordinário, mas ignora o mais necessário, as coisas comuns da vida. O estudo do mais sublime não deixa lugar para o mais simples. Ignoram o primeiro que deveriam saber, o que todos dominam. Por isso, ou são admirados ou são considerados ignorantes pelas pessoas superficiais. O homem sábio deve tentar ser um pouco negociante, o suficiente para não ser enganado nem objeto de riso. Que seja prático, pois, ainda que isso não seja o ponto alto da sua vida, é muito útil. De que serve o conhecimento se não é prático? O verdadeiro saber de hoje é saber viver!



Tornar-se indispensável 22
Temperamento jovial 70
Ter cautela ao informar 71
Ter ações dignas de rei 84
Ter sempre alguma coisa para desejar 138
Ter uma idéia exata de si mesmo e de suas possibilidades 135


Transformar em prêmios as dividas de gratidão 148

Três coisas fazem um prodígio 166

E todas constituem dádivas da generosidade divina:
Rica inteligência, juízo profundo e bom gosto. A imaginação é um grande dom, mas é ainda mais notável raciocinar e ter um bom entendimento. A inteligência não deve estar no esforço, pois seria mais trabalhadora do que aguda. Pensar bem é o resultado da racionalidade. Aos vinte anos reina a vontade, aos trinta a inteligência, aos quarenta o juízo. Algumas mentes irradiam luz com os olhos do lince  e raciocinam melhor na escuridão. Outras reagem de acordo com a ocasião. Encontram respostas com freqüência e bem: uma fecundidade felicíssima. E o bom gosto dá sal a toda vida.



Tolo não é aquele que comete uma tolice, mas o que não sabe disfarçá-la 98


Tirar partido da novidade 158
                   
   O apreço dura enquanto é novidade. Ela agrada a todos porque varia e refresca o gosto. Gosta-se mais de uma mediocridade nova do que de um prodígio conhecido.
Até o que é excelente se gasta e  envelhece.
A glória da novidade durará pouco, ao final de quatro dias perderá o respeito. Por isso, deve-se tirar todo o proveito do primeiro agrado fugaz. Se o valor da novidade esfria, acaba a paixão, e o gosto se converte em rejeição. Tudo tem seu momento e passa.


Um pouco de audácia é uma forma importante de prudência                              128

É preciso moderar a idéia que se tem dos outros para não colocá-los tão alto que se passe a temê-los. Que a imaginação nunca vença ao coração. Alguns parecem importantes até que se comece a lidar com eles. O contato, com freqüência, provoca mais decepção que amizade. Ninguém excede os curtos limites do ser humano: cada um tem um senão, uns na inteligência e outros no caráter. A posição social proporciona  uma autoridade aparente que quase nunca é acompanhada de verdadeira autoridade. A sorte costuma castigar quem ocupa grandes cargos com méritos inferiores. A imaginação sempre aumenta e pinta  as coisas mais importantes do que são: não  mostra apenas o que há, mas o que poderia haver. A razão, curtida pela experiência, deve corrigir isso. A tolice não pode ser atrevida, nem a virtude, temerosa. Se a audácia é útil aos tolos, será ainda mais aos sábios e corajosos.




Usar os meios humanos como se os divinos não existissem, e os divinos, como se não existissem os humanos 154


Tratar sempre com pessoas de princípios 92



Você pode correr o risco de confiar nelas. A honradez é a maior garantia no relacionamento porquê, mesmo se houver alguma divergência, cada um age como é. Mais vale se desentender com gente de bem do que triunfar  sobre gente do mal. Não há boas relações com a maldade porque ela não tem compromisso com a virtude. Por isso, entre pessoas más nunca existe verdadeira amizade. É preciso desconfiar de suas gentilezas porque não são honradas. Evite quem não tem princípios. Quem não estima a honra não aprecia a virtude. E a honra é o trono da integridade.



Vencer a inveja e a maldade (s/n) .............................................

É prudente desprezar a inveja, mas a indiferença não vale o mesmo que a gentileza. Não há aplausos suficientes para quem fala bem daquele que fala mal. Não há vingança mais nobre que vencer a inveja com méritos e qualidades. Cada sucesso aumenta o tormento do invejoso. Para o rival a glória do outro é um inferno. Este é o maior castigo: fazer da sua felicidade um veneno para o adversário.
O invejoso não morre uma vez só, mas tantas quanto o invejado for aplaudido. A eternidade da fama de um compete com a dor do outro: os dois são imortais, aquele nas suas glórias e este nas suas penas. O clarim da fama soa para anunciar a imortalidade de um e divulga a morte do outro, condenando-o à forca da inveja.



Variar o modo de agir 31


                                        Cada um pensa conforme lhe convém e apresenta razões para suas caprichosas opiniões. A maior parte dos homens põe a paixão na frente do juízo. Quando duas pessoas sustentam posições contrarias, cada uma pensa ter razão. Mas a razão é fiel e não tem duas caras. O sábio deve agir com cautela em assuntos tão delicados, e sua própria dúvida irá corrigir o julgamento inicial sobre o comportamento alheio. Ao se colocar no lugar do outro e examinar seus motivos, não condenará nem se justificará tão cegamente.






        FIM
















           



























  BALTASAR GRACIÁN   ALFABÉTICA

Agir com intenção, com primeira e segunda intenções 28
A sabedoria e a honestidade 30
A arte da sorte 35
A arte de viver muito 78
Agir somente se não houver duvidas 79
Caráter e inteligência 19
Criar  expectativas 20
Cercar-se de pessoas inteligentes 29
Conhecer os felizardos para acolhe-los, e os azarados para evita-los 42
Conhecer sua boa estrela 137
Conhecer sua melhor qualidade 43
Cuidado com a antipatia 48
Cuidado para que as coisas saiam bem 60
Começar com cuidado 69
Cultura e refinamento 77
Conhecer a natureza dos empregos 85
Capacidade inescrutável 81
Conquistar a boa vontade dos outros 89
Condição elegante 99
Conhecer seu pior defeito 145
Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida 161
Dar as coisas seu devido valor 44
Deixar os outros com fome 167
Deve-se começar o fácil como se difícil fosse e o difícil como se fosse fácil 139
Em uma palavra ser um santo 168
Estar no auge da perfeição 23
Evitar as vitórias sobre  o chefe 24
Encontrar o ponto fraco de cada um 38
E melhor intenso que extenso 39
Escolher um modelo elevado 66
Fugir dos assuntos difíceis e perigosos 49
Ganhar fama de cortês 93
Homem universal 80
Metade do mundo ri da outra metade, e ambas são tolas 83
Moderação no julgar 163
Natureza e arte, matéria e elaboração 27
Não começar com muita expectativa 33
Não ter defeitos 37
Nunca perder o respeito por si mesmo 52
Nunca perder a compostura 53
Nunca se entregar ao mau humor 61
Não ser vulgar em nada 40
Nunca exagerar 46
Não ser inacessível 65
Não ficar de brincadeiras 67
Não ser cansativo 86
Não demonstrar satisfação consigo mesmo 87
Não esperar o sol se pôr 88
Nunca competir 91
Não ser registro dos erros alheios 97
Nem amar nem odiar para sempre 143
Não explicar as idéias com demasiada clareza 155
Não  se deixar levar pela primeira impressão 146
Na ser somente dócil 151
Não  começar a vida  por onde se deve terminar 153
Não podendo se cobrir com pele de leão,cubra-se com a pele de raposa 144
Não se descuidar nunca 157
Não ser o único a criticar o que agrada a muitos 159
Não fingir, mas agir 164
No céu tudo é alegria, no inferno tudo é pesar 141
Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar 26
O esforço e a capacidade 32
O homem em seu tempo 34
O homem de valores profundos 50
O saber e o valor contribuem em conjunto par a grandeza 21
O fracasso está em unir apreço e afeto 162
Permitir-se pequenos deslizes 74
Previnir os boatos 76
Preparar-se para os tempos de crise 90
Pensar duas vezes 100
 Perseguir a vitória 150
Pessoas de grandes e majestosas qualidades 165
Refletir é mais seguro 57
Renovar o brilho 73
Ser pessoa de conversa agradável e saborosa 36
Ser integro 41
Sorte e fama 25
Saber se retirar quando se está ganhando 45
Sentir e expressar-se 47
Ser sensato e observador 51
Ser diligente e inteligente 54
Saber esperar 55
Saber improvisar 56
Saber retirar-se 58
Saber usar a verdade 140
Saber evitar os desgostos 59
Saber negar 62
Ser equilibrado por inclinação natural ou por gosto 63
Ser claro 142
Ser decidido 64
Saber adaptar-se 68
Saber usar os inimigos 75
Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro 160
Saber manter a expectativa 82
Ser prático na vida 94
Ser elegante no falar e no agir 95
Saber avaliar 136
Saber a qualidade que falta 149
Saber um pouco mas e viver um pouco menos 152
Saber esquecer 156
Ser um pouco negociante 147
Tornar-se indispensável 22
Temperamento jovial 70
Ter cautela ao informar 71
Ter ações dignas de rei 84
Ter sempre alguma coisa para desejar 138
Ter uma idéia exata de si mesmo e de suas possibilidades 135
Tratar sempre com pessoas de princípios 92
Transformar em prêmios as dividas de gratidão 148
Três coisas fazem um prodígio 166
Tolo não é aquele que comete uma tolice, mas o que não sabe disfarçá-la 98
Tirar partido da novidade 158
Usar os meios humanos como se os divinos não existissem, e os divinos, como se não existissem os humanos 154
Variar o modo de agir 31
Viver sem afetação 96







Índice
Caráter e inteligência 19
Criar  expectativas 20
O saber e o valor contribuem em conjunto par a grandeza 21
Tornar-se indispensável 22
Estar no auge da perfeição 23
Evitar as vitórias sobre  o chefe 24
Sorte e fama 25
Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar 26
Natureza e arte, matéria e elaboração 27
Agir com intenção, com primeira e segunda intenções 28
Cercar-se de pessoas inteligentes 29
A sabedoria e a honestidade 30
Variar o modo de agir 31
O esforço e a capacidade 32
Não começar com muita expectativa 33
O homem em seu tempo 34
A arte da sorte 35
Ser pessoa de conversa agradável e saborosa 36
Não ter defeitos 37
Encontrar o ponto fraco de cada um 38
E melhor intenso que extenso 39
Não ser vulgar em nada 40
Ser íntegro 41
Conhecer os felizardos para acolhê-los, e os azarados para evitá-los 42
Conhecer sua melhor qualidade 43
Dar às coisas seu devido valor 44
Saber se retirar quando se está ganhando 45
Nunca exagerar 46
Sentir e expressar-se 47
Cuidado com a antipatia 48
Fugir dos assuntos difíceis e perigosos 49
O homem de valores profundos 50
Ser sensato e observador 51
Nunca perder o respeito por si mesmo 52
Nunca perder a compostura 53
Ser diligente e inteligente 54
Saber esperar 55
Saber improvisar 56
Refletir é mais seguro 57
Saber retirar-se 58
Saber evitar os desgostos 59
Cuidado para que as coisas saiam bem 60
Nunca se entregar ao mau humor 61
Saber negar 62
Ser equilibrado por inclinação natural ou por gosto 63
Ser decidido 64
Não ser inacessível 65
Escolher um modelo elevado 66
Não ficar de brincadeiras 67
Saber adaptar-se 68
Começar com cuidado 69
Temperamento jovial 70
Ter cautela ao informar 71
Renovar o brilho 72
Nunca exagerar o mal nem o bem 73
Permitir-se pequenos deslizes 74
Saber usar os inimigos 75
Previnir os boatos 76
Cultura e refinamento 77
A arte de viver muito 78
Agir somente se não houver duvidas 79
Homem universal 80
Capacidade inescrutável 81
Saber manter a expectativa 82
Metade do mundo ri da outra metade, e ambas são tolas 83
Ter ações dignas de rei 84
Conhecer a natureza dos empregos 85
Não ser cansativo 86
Não demonstrar satisfação consigo mesmo 87
Não esperar o sol se pôr 88
Conquistar a boa vontade dos outros 89
Preparar-se para os tempos de crise 90
Nunca competir 91
Tratar sempre com pessoas de princípios 92
Ganhar fama de cortês 93
Ser prático na vida 94
Ser elegante no falar e no agir 95
Viver sem afetação 96
Não ser registro dos erros alheios 97
Tolo não é aquele que comete uma tolice, mas o que não sabe disfarçá-la 98
Condição elegante 99
Pensar duas vezes 100
Melhor ser louco entre muitos do que sábio sozinho. 101
Não ter espírito e contradição 102
Ir direto ao assunto 103
O sábio se basta a si mesmo 104
A arte de deixar as coisas como estão 105
Conhecer os dias de má sorte 106
Descobrir o bom de cada coisa 107
Não escutar a si mesmo 108
Não seguir nunca, por obstinação, o pior partido 109
Não ser inacessível 110
Pensar adiante 111
Não acreditar nem amar facilmente 112
Arte ao se apaixonar 113
Não se enganar sobre a condição das pessoas 114
Saber tirar proveio das amizades 115
Falar com prudência 116
Vencer a inveja e a maldade 117
Jogar limpo 118
Distinguir o homem de palavras do homem de ações 119
Saber se ajudar 120
É mais importante não errar nem uma vez do que acertar cem vezes 121
Ter reserva em todas as circunstâncias 122
Não competir com quem não tem nada a perder 123
Não viver com pressa 124
Saber escutar quem sabe 125
Acreditar no coração principalmente se ele é forte 126
Sem mentir, não dizer a verdade 127
Um pouco de audácia é uma forma importante de prudência 128
Não ser teimoso 129
Conhecer os defeitos 130
Fazer você mesmo tudo aquilo que é favorável, e por intermédio de terceiros o que é odioso 131
Elogiar os ausentes 132
Encontrar consolação em tudo  133
O homem pacífico tem vida longa 134
Ter uma idéia exata de si mesmo e de suas possibilidades 135
Saber avaliar 136
Conhecer sua boa estrela 137
Ter  sempre alguma coisa para desejar 138
Deve-se começar o fácil como se fosse difícil e o difícil como se fosse fácil 139
Saber usar a verdade 140
No céu tudo é alegria, no inferno tudo é pesar 141
Ser claro 142
Nem amar nem odiar para sempre 143
Não podendo se cobrir com pele de leão, cubra-se com a pele de raposa 144
Conhecer seu pior defeito 145
Não  se deixar levar pela primeira impressão 146
Ser um pouco negociante 147
Transformar em prêmios as dividas de gratidão 148
Saber a qualidade que falta 149
Perseguir a vitória 150
Na ser somente dócil 151
Saber um pouco mas e viver um pouco menos 152
Não  começar a vida  por onde se deve terminar 153
Usar os meios humanos como se os divinos não existissem, e os divinos, como se não existissem os humanos 154
Não explicar as idéias com demasiada clareza 155
Saber esquecer 156
Não se descuidar nunca 157
Tirar partido da novidade 158
Não ser o único a criticar o que agrada a muitos 159
Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro 160
Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida 161
O fracasso está em unir apreço e afeto 162
Moderação no julgar 163
Não fingir, mas agir 164
Pessoas de grandes e majestosas qualidades 165
Três coisas fazem um prodígio 166
Deixar os outros com fome 167
Em uma palavra: ser um santo 168














                 


      


Citações atribuidas

  • "Nada realmente pertence a nós que não seja o tempo, que se tem mesmo quando não se tem nada mais".
  • "Só as pessoas inteligentes procuram, para auxiliá-las, pessoas mais inteligentes do que elas."
  • "A defesa de uma má causa é sempre pior do que a própria causa."
  • "O bom, se conciso for, é duas vezes bom."
  • “Más maneiras prejudicam tudo, até a razão e a justiça. Boas maneiras favorecem tudo: douram uma negativa, adoçam a verdade e adicionam um toque de beleza à velhice.“
  • "Crê muito quem nunca mente e confia muito quem nunca engana."
  • "Cada um mostra aquilo que é pelos amigos que tem."
  • "O número de pessoas que pode nos beneficiar é muito pequeno."
  • "A vida do homem consiste numa milícia contra a malícia do homem."
  • "Ostente e seja visto. O que não é visto é como se não existisse."
  • "Remar contra a corrente não desfaz enganos e é extremamente perigoso. Só um Sócrates pode tentar. O discordar é tomado como insulto, pois condena a opinião alheia."
  • "O homem prudente busca refúgio no seu sagrado silêncio, e se mostra a poucos e cordatos."
  • "Não se pode conceder tudo a todos. Dizer não é tão importante quanto conceder."
  • "O 'não' de alguns agrada mais do que o 'sim' de outros."
  • "Nunca negue nada por completo, os outros deixariam de depender de você. Deve haver sempre resquícios de esperança para adoçar o amargor da recusa."
  • "'Não' e 'sim' são palavras breves, mas exigem uma reflexão prolongada."
  • "Quando se tem vinte anos, a vontade reina; aos trinta, a inteligência; aos quarenta, o discernimento."
  • "Um homem atento percebe que é ou será visto. Sabe que as paredes têm ouvidos e que o que é malfeito acaba por ser conhecido."
  • "Não há nada tão amável quanto a virtude, nem tão detestável quanto o vício. Só a virtude basta a si mesma. Faz-nos amar os vivos e lembrar os mortos."
  • "Os que mais ostentam ter são os que menos têm."
  • "Analise os motivos do ponto de vista do outro. Dessa forma, você nem o condenará, nem se justificará tão às cegas."
  • "O peso material torna precioso o ouro, e o peso moral valoriza uma pessoa."
  • "Seja amado com admiração em vez de afeição, pois assim é com os grandes homens."
  • "Os tolos se perdem por não pensar. Nunca enxergam nem a metade das coisas, e, por não perceberem nem suas vantagens, nem seu prejuízo, empregam o seu esforço."
  • "Alguns ponderam às avessas, prestando muita atenção ao que importa pouco, e pouca atenção ao que importa muito."
  • "Todo excesso constitui um vício."
  • "Não basta não se intrometer nos assuntos alheios: é preciso também impedir os outros de se intromenter nos seus."
  • "Sábio é aquele que fica descontente quando suas coisas agradam a muitos!"
  • "A multidão se encanta com a tolice."
  • "A perfeição não está na quantidade, mas na qualidade. As coisas muito boas sempre foram poucas e raras; a abundância traz a desvalorização."
  • "As grandes pessoas nunca se satisfazem com aplausos comuns."
  • "Todas as coisas têm suas estações, até os valores estão sujeitos à moda. Mas o sábio tem uma vantagem: é eterno. Se este não é seu século, muitos outros serão."
  • "É fácil abater o pássaro que voa em linha reta, mas não aquele que altera seu vôo."
  • "O jogador perfeito nunca move a peça que se espera, e muito menos a peça que seu advérsário desejaria."
  • "Os príncipes gostam de ser ajudados, mas não sobrepujados. Ao aconselhá-los, faça-o como se os lembrasse de algo esquecido, não como se acendesse a luz que ele é incapaz de ver. Os astros nos ensinam tal sutileza. Nunca rivalizam com o sol."
  • "Nenhum país, nem mesmo o mais culto, deixa de ter um defeito peculiar, e tais fraquezas servem de defesa ou consolo às nações vizinhas."
  • "Obtém-se mais da depêndencia que da cortesia."
  • "As decisões, uma vez declaradas, nunca grajeiam estima e expõem à censura."
  • "As coisas não passam pelo que são, mas pelo que parecem. Raros são os que olham por dentro e muitos os que se contentam com as aparências. Apenas ter razão não basta; que o sembrante também o demonstre."
  • "Não se vive seguindo uma só opinião, um só costume ou só século."
  • "O que é excesso para uns é fome para outros. Alguns desperdiçam alimentos finos porque não têm como digeri-los: Não nasceram para ocupações elevadas e não estão acostumados a elas."
  • "Não passe a vida descontente consigo mesmo, o que é mesquinhez, nem satisfeito, o que seria tolice."
  • "Nada conquista tanto como servir aos outros, e a melhor maneira de ganhar amigos é agir como amigo."
  • "O coração de uma mãe é um abismo profundo em que no fundo sempre se encontra o perdão."
  • "Não há mestre que não possa ser aluno."
  • "A amizade multiplica as coisas boas e divide as más."





Baltasar Gracián- A Arte da prudência

Na ser somente dócil 151
Não  começar a vida  por onde se deve terminar 153
Não se descuidar nunca 157
Não ser o único a criticar o que agrada a muitos 159




                           Não ser o único a criticar o que agrada a muitos



                        Aquilo que agrada a muitos deve ter algo de bom. Ainda que não se entenda, que se aproveite. A singularidade é sempre odiosa e quando está errada, é ridícula. Desacredita mais o autor da crítica do que o seu objeto, deixando-o sozinho com seu mau gosto. Aquele que não sabe discernir o que há de bom nas coisas deve dissimular sua inteligência limitada. Não se deve criticar sem consideração: o mau gosto normalmente nasce da ignorância. O que todos dizem ou é, ou será.

Baltasar Gracián- A Arte da prudência
Não fingir, mas agir 164

Não seguir nunca, por obstinação o pior partido


Não seguir nunca, por obstinação, o pior partido..




                   Só porque o competidor se adiantou e escolheu o melhor. Assim, você começa a luta já vencido, e depois será necessário render-se. O bem nunca se vingará com o mal. O oponente foi astuto ao antecipar-se escolhendo o melhor, e você seria tolo ao tomar o pior partido para se defender. Ser teimoso nas ações  é mais perigoso do que em palavras porque corre-se mais riscos ao fazer do que ao falar. É estupidez própria dos obstinados não se dar conta da verdade nem da utilidade, por estarem mais preocupados em contradizer e lutar. O homem prudente está sempre do lado da razão , não da paixão. Ou ele se previne ou corrige depois a rota. Se o oponente é tolo, a própria insensatez o fará mudar de lado, mesmo que seja para tomar o pior partido. Para fazê-lo abandonar a melhor posição, o único remédio é aderir à sua escolha. A tolice e a teimosia farão com que abandone a causa e o levarão à ruína.

Baltasar Gracián

Não competir com quem não tem nada a perder

A luta seria desigual. O outro começa com desembaraço porque perdeu até a vergonha. Não tem mais o que perder, por isso se lança de cabeça em qualquer despropósito. Nunca exponha sua inestimável reputação a um risco tão cruel . Conquistá-la levou muitos anos para perdê-la em assuntos sem importância. Um mau vento pode gelar o suor do esforço. Por ter muito a perder, o homem honesto se detém. Preocupado com sua reputação, observa o oponente e age com cautela para colocar o prestígio a salvo. Nem sequer com a vitória pode-se ganhar aquilo que se  perdeu ao se correr o risco de perder.

Baltasar Gracián

Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar 26
Variar o modo de agir 31
O esforço e a capacidade 32
O homem em seu tempo 34
O homem de valores profundos 50
O saber e o valor contribuem em conjunto par a grandeza 21
O fracasso está em unir apreço e afeto 162
Permitir-se pequenos deslizes 74
Previnir os boatos 76
Preparar-se para os tempos de crise 90
Pensar duas vezes 100
Perseguir a vitória 150

                                             Perseguir a vitória


Alguns se esgotam ao começar e não acabam nada. Começam, mas não persistem: têm um caráter instável. Nunca recebem elogios porque nada concluem. Terminam sempre por abandonar o começado. Uns acabam as coisas, outros acabam com elas. Suam até superar a dificuldade, mas se contentam em tê-la vencido, mas não sabem aproveitar a vitória; demonstram que podem, mas não sabem querem. É um defeito, não importa se por erro de cálculo ou inconstância . Se a empreitada é boa, por que não se termina? E se é ruim, por que se começou? O homem sagaz não só espreita a perdiz- vai à caça. 



Baltasar Gracián
Pessoas de grandes e majestosas qualidades 165
Renovar o brilho 73
Ser pessoa de conversa agradável e saborosa 36
Ser integro 41
Sorte e fama 25
Saber se retirar quando se está ganhando 45
Sentir e expressar-se 47


Sentir e expressar-se


Querer ir contra a corrente não desfaz os enganos e é perigoso. Somente Sócrates podia fazê-lo. Discordar é considerado uma ofensa porque significa condenar a opinião alheia. Os contrariados se multiplicam tanto em consideração àquele que foi criticado quanto àqueles que o aplaudiam. A verdade é de poucos, mas o engano é tão comum quanto vulgar. Não se conhece o sábio pelo que fala em público, pois não o faz com sua voz, mas com a da tolice comum, por mais que discorde dela interiormente. A pessoa sensata foge de ser desmentida e de contradizer os outros: rápida na censura, é lenta para torná-la pública. O sentir é livre, não se pode nem se deve violentá-lo. O homem prudente refugia-se no silêncio e se mostra a poucos e sábios. 


Baltasar Gracián
Ser sensato e observador 51
Ser diligente e inteligente 54
Saber esperar 55
Saber improvisar 56
Ser um pouco negociante


Ser um pouco negociante


                         A teoria deve estar unida à prática. É fácil enganar um sábio, porque conhece até o mais extraordinário, mas ignora o mais necessário, as coisas comuns da vida. O estudo do mais sublime não deixa lugar para o mais simples. Ignoram o primeiro que deveriam saber, o que todos dominam. Por isso, ou são admirados ou são considerados ignorantes pelas pessoas superficiais. O homem sábio deve tentar ser um pouco negociante, o suficiente para não ser enganado nem objeto de riso. Que seja prático, pois, ainda que isso não seja o ponto alto da sua vida, é muito útil. De que serve o conhecimento se não é prático? O verdadeiro saber de hoje é saber viver!



Baltasar Gracián- A Arte da prudência

Saber um pouco mais e viver um pouco menos


Saber um pouco mais e viver um pouco menos





                                           Há quem pense o contrário. Melhor é o ócio bem empregado do que o negócio. Tudo o que possuímos é o tempo, único bem de quem não tem nada. A vida é preciosa demais para ser desperdiçada tanto em trabalhos mecânicos quanto em excesso de tarefas sublimes. Não devemos nos sobrecarregar nem de ocupações, nem de rivalidades: isso é maltratar a vida e sufocar o ânimo. Alguns acreditam que também se deve evitar o saber, mas, se não se sabe, não se vive.



Se souber pouco na sua profissão,a tenha-se ao mais seguro

Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro

Desse modo, ainda eu não seja considerado inteligente, passará confiança. Aquele que sabe pode se arriscar a fazer o que quer, mas saber pouco e arriscar-se é jogar-se voluntariamente no precipício. Quando se sabe pouco, é melhor seguir pela estrada principal. Deve-se manter o caminho reto e não faltará o caminho firme. Em todos os casos, sabendo ou não sabendo, a segurança é mais prudente que a singularidade.


Baltasar Gracián



Saber escutar quem sabe


Não se pode viver sem entendimento, próprio ou emprestado. Muitas pesssoas não tem consciência do que não sabem, e outras pensam que sabem sem saber. Os erros da estupidez são irremediáveis, pois, como os ignorantes não se consideram assim, não procuram aquilo que lhes falta. Alguns seriam sábios se não acreditassem  sê-lo. Por isso, os poucos oráculos da prudência vivem ociosos porque  ninguém os consulta. Pedir conselho não diminui a grandeza nem a capacidade de ninguém. Ao contrário, fortalece a reputação. É bom ouvir a razão para evitar o ataque da má sorte.

Baltasar Gracián

Refletir é mais seguro 57
Relacione-se com quem tenha algo a ensinar
Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar.
O trato amigável deve ser uma escola de erudição, e a conversa, um ensinamento culto. Deve-se fazer com que seus amigos sejam também seus melhores mestres, combinando o útil da aprendizagem com os gostos da conversa.Deve-se alternar o prazer com a instrução. Os aplausos gratificam aqueles que falam, e os que ouvem são recompensados com o ensinamento. Normalmente a própria conveniência nos leva a conversar com outras pessoas- e assim enobrecemos. O homem prudente freqüenta as casas dos homens eminentes, pois mais que palácios da vaidade são cenários de gradeza. Existem senhores com reputação de prudentes que são oráculos de grandeza por seu exemplo e modo de agir. Além disso, o grupo de seus acompanhantes é uma refinada academia de sensatez, tato e engenho.
Baltasar Gracián- A Arte da prudência.
Saber retirar-se 58
Saber evitar os desgostos 59
Saber negar 62
Ser equilibrado por inclinação natural ou por gosto 63
Ser decidido 64
Saber adaptar-se 68
Saber usar os inimigos 75
Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro 160
Saber manter a expectativa 82
Ser prático na vida 94
Ser elegante no falar e no agir 95
Saber um pouco mas e viver um pouco menos 152
Saber esquecer 156
Ser um pouco negociante 147
Saber a qualidade que falta 149
Temperamento jovial 70
Ter cautela ao informar 71
Ter ações dignas de rei 84
Tratar sempre com pessoas de princípios 92


Tratar sempre com pessoas de princípios


Você pode correr o risco de confiar nelas. A honradez é a maior garantia no relacionamento porquê, mesmo se houver alguma divergência, cada um age como é. Mais vale se desentender com gente de bem do que triunfar  sobre gente do mal. Não há boas relações com a maldade porque ela não tem compromisso com a virtude. Por isso, entre pessoas más nunca existe verdadeira amizade. É preciso desconfiar de suas gentilezas porque não são honradas. Evite quem não tem princípios. Quem não estima a honra não aprecia a virtude. E a honra é o trono da integridade.



Baltasar Gracián- A Arte da prudência.
Tolo não é aquele que comete uma tolice, mas o que não sabe disfarçá-la 98
Transformar em prêmios as dividas de gratidão 148
Tirar partido da novidade 158



                           Tirar partido da novidade



                            O apreço dura enquanto é novidade. Ela agrada a todos porque varia e refresca o gosto. Gosta-se mais de uma mediocridade nova do que de um prodígio conhecido. Até o que é excelente se gata e  envelhece. 
A gloria da novidade durará pouco, ao final de quatro dias perderá o respeito. Por isso, deve-se tirar todo o proveito do primeiro agrado fugaz. Se o valor da novidade esfria, acaba a paixão, e o gosto se converte em rejeição. Tudo tem seu momento e passa.

Baltasar Gracián- A Arte da prudência

Tornar-se indispensável 22
Usar os meios humanos como se os divinos não existissem, e os divinos, como se não existissem os humanos 154
Viver sem afetação 96
Vencer a inveja e a maldade


Vencer a inveja e a maldade


É prudente desprezar a inveja, mas a indiferença não vale o mesmo que a gentileza. Não há aplausos suficientes para quem fala bem daquele que fala mal. Não há vingança mais nobre que vencer a inveja com méritos e qualidades. Cada sucesso aumenta o tormento do invejoso. Para o rival a glória do outro é um inferno. Este é o maior castigo: fazer da sua felicidade um veneno para o adversário. O invejoso não morre uma vez só, mas tantas quanto o invejado for aplaudido. A eternidade da fama de um compete com a dor do outro: os dois são imortais, aquele nas suas glórias e este nas suas penas. O clarim da fama soa para anunciar a imortalidade de um e divulga a morte do outro, condenando-o à forca da inveja.






Saiba sair de cena




Saiba sair de cena Uma das coisas que aprendi com pessoas de grande sabedoria é saber sair de cena, deixar o palco, sair da roda, mudar de assunto.Saber o momento exato de fazer com que os holofotes fiquem sobre os outros e não sobre você.No mundo competitivo em que vivemos a sua presença "marcante" pode marcar demais. A sua idéia "brilhante" pode brilhar demais. A forma "inovadora" de pensar pode inovar demais.E nem sempre as pessoas estão dispostas a deixar você brilhar impunemente. É hora de sair de cena.Nem que seja por um tempo.É preciso fazer os outros pensarem que você desistiu.É preciso dar a chance das pessoas acharem que você não quer mais estar no palco.Mas saber sair de cena é uma arte tão importante quanto saber entrar em cena. Todo ator sabe disso. Assim, é preciso sair de cena com classe. É preciso sair de cena com a discrição de um lorde inglês.Quando as pessoas sentem-se ameaçadas por você e começam a ter respostas agressivas

                                   
             A sorte e a fama.

O que uma tem de inconstante, a outra tem de firme. A sorte ajuda durante, e a fama, depois. Uma age contra a inveja, a outra contra o esquecimento. A fortuna é desejada e às vezes construída com nossos esforços, mas o renome exige trabalho constante. A fama foi e é irmã de gigantes, move-se sempre nos extremos: ou monstros ou prodígios, ou rejeição ou aplauso.


                                         Estar no auge da perfeição.


Não se nasce feito. Cada dia vamos nos aperfeiçoando no pessoal e no profissional, até chegar ao ponto mais alto, à plenitude de qualidades, à eminência. Isto se conhece no gosto refinado, na pureza da inteligência, na maturidade do julgamento, na retidão da vontade. Alguns nunca chegam a ser completos, sempre lhes falta alguma coisa. Outros demoram para chegar lá. O homem "acabado"-
sábio em atos e palavras- é aceito, e inclusive desejado, no seleto grupo dos discretos.


                                              Caráter e inteligência



São os dois pólos para exibir as qualidades de um homem. Um sem o outro é boa sorte pela metade. Não basta ser inteligente, é preciso também ter predisposição de caráter. A má sorte do tolo é desconsiderar a sua condição, ocupação, vizinhança e amizades.



                        





                             Cercar-se de pessoas inteligentes

Os poderosos tem muita sorte em ter ao seu lado homens de grande inteligência, capacitados para resolver os problemas causados pela ignorância e que lutam por eles nas situações mais difíceis. Servir-se de sábios é uma grandeza especial. Supera o gosto bárbaro de Tigrano, que fazia dos reis vencidos seus serviçais. É muito melhor outro tipo de domínio: transformar, por uma arte especial, aqueles que a natureza dotou de inteligência superior em nossos servidores. Há muito o que conhecer, a vida é curta e não se vive se não se sabe. É portanto, uma habilidade especial aprender sem esforço, aprender muito de muitos, sabendo tanto como todos. Se você conseguir isso, será capaz de falar por muitos em uma reunião, pois por sua boca vão falar tantos sábios quantos foram os que o prepararam. Conseguirá assim, com suor alheio, fama de oráculo. Aqueles que não puderem ter a sabedoria como serva devem tê-la ao menos como companheira.


                              Nem amar nem odiar para sempre

Trate os amigos de hoje como se pudessem se tornar os inimigos de amanhã, inclusive os piores. Como a experiência mostra que isso pode acontecer, deve-se estar prevenido. Os desertores da amizade não devem receber armas, pois farão com elas a pior guerra. Os inimigos, ao contrário, devem ter sempre uma porta aberta para a reconciliação. A porta da cortesia é a mais segura. Às vezes uma vingança consumada vira um tormento, e o prazer pelo dano causado ao inimigo se torna motivo de pesar.



                                     Descobrir o bom de cada coisa


É a marca do bom gosto. A abelha logo acha a doçura para a colméia, e a víbora, a amargura para o veneno. O mesmo acontece com os gostos: uns preferem o melhor e outros o pior. Em tudo há algo de bom, especialmente nos livros, pois são resultado da reflexão. O caráter de alguns é tão desgraçado que, entre mil qualidades, encontrarão o único defeito, e o criticarão e o aumentarão. Estes recolhem as sujeiras das vontades e das inteligências, sobrecarregando-se de infâmias e de defeitos, não por serem perspicazes, mas como castigo por seu mau discernimento. Levam uma vida péssima, pois só se alimentam de amarguras e imperfeições. Muito melhor é o gosto daqueles que, entre mil defeitos, logo encontrarão a única perfeição que escapou à boa sorte.


                               Tratar sempre com pessoas de princípios

Você pode correr o risco de confiar nelas. A honradez é a maior garantia no relacionamento porquê, mesmo se houver alguma divergência, cada um age como é. Mais vale se desentender com gente de bem do que triunfar  sobre gente do mal. Não há boas relações com a maldade porque ela não tem compromisso com a virtude. Por isso, entre pessoas más nunca existe verdadeira amizade. É preciso desconfiar de suas gentilezas porque não são honradas. Evite quem não tem princípios. Quem não estima a honra não aprecia a virtude. E a honra é o trono da integridade.




                                Três coisas fazem um prodígio

E todas constituem dádivas da generosidade divina:
Rica inteligência, juízo profundo e bom gosto. A imaginação é um grande dom, mas é ainda mais notável raciocinar e ter um bom entendimento. A inteligência não deve estar no esforço, pois seria mais trabalhadora do que aguda. Pensar bem é o resultado da racionalidade. Aos vinte anos reina a vontade, aos trinta a inteligência, aos quarenta o juízo. Algumas mentes irradiam luz com os olhos do lince  e raciocinam melhor na escuridão. Outras reagem de acordo com a ocasião. Encontram respostas com freqüência e bem: uma fecundidade felicíssima. E o bom gosto dá sal a toda vida.




                                        Deixar os outros com fome

 Deixe um resto de néctar nos lábios. O desejo é a medida da estima. É bom aliviar a sede física , mas não sacia-la: o bom, se é pouco, é bom duas vezes. Perde-se muito na segunda vez. As grandes doses de agrado são perigosas porque levam a se desprezar a mais eterna superioridade. A única regra para agradar é pegar o apetite com fome. Um desejo impaciente é mais estimulante do que se fartar de prazer.Uma felicidade difícil de se conseguir é desfrutada em dobro.






                         Não começar com muita expectativa.

                                 É comum ver que tudo que recebe muitos elogios antes de acontecer não alcançará depois o sucesso esperado. O real nunca pode alcançar o imaginado, porque imaginar a perfeição é fácil, mas atingi-la é muito difícil. O casamento da imaginação com o desejo sempre concebe as coisas muito melhores do que elas são. A excelência -por maior que ela seja- não é suficiente para satisfazer a idéia inicial, Por isso, ao criar uma expectativa exorbitante, causa-se mais decepção do que admiração.
 A esperança é uma grande falsificadora da verdade. A sensatez deve refreá-la, procurando que o gozo do real supere o desejo do imaginário. Os inícios honrados servem para despertar a curiosidade e não para comprometer a tentativa final. O resultado é melhor quando a realidade supera o que se pensou. Esta regra não serve para coisas ruins. Quando se exagera um mal e a realidade desmente a imaginação, o que a princípio parecia muito ruim chega a ser tolerável.



Não ser registro dos erros alheios

Ocupar-se dos erros dos outros é sinal de que a própria reputação está arranhada. Alguns gostariam de esconder, até mesmo apagar, as próprias falhas, realçando as dos demais. Este e o consolo dos tolos. Nesses assuntos, quando mais se cava, mais se enlameia. Poucos escapam de ter algum defeito, hereditário ou não. Só não se conhece as faltas dos desconhecidos. O homem prudente deve evitar contabilizar os erros alheios. Senão pode se tornar uma desagradável lista negra -viva, mas desumana.




Não começar a vida por onde se deve terminar



                        Algumas pessoas descansam no princípio e deixam o trabalho para o fim. O essencial deve vir primeiro e depois, se houver espaço, o acessório. Outras querem triunfar antes de lutar. Alguns começam aprendendo o que menos importa e os estudos úteis e importantes são deixados para o fim da vida. Outros se orgulham quando nem bem começaram a fazer fortuna. O método é essencial para saber e poder viver.



                           Tirar partido da novidade


                            O apreço dura enquanto é novidade. Ela agrada a todos porque varia e refresca o gosto. Gosta-se mais de uma mediocridade nova do que de um prodígio conhecido. Até o que é excelente se gata e  envelhece.
A gloria da novidade durará pouco, ao final de quatro dias perderá o respeito. Por isso, deve-se tirar todo o proveito do primeiro agrado fugaz. Se o valor da novidade esfria, acaba a paixão, e o gosto se converte em rejeição. Tudo tem seu momento e passa.



                           Não ser o único a criticar o que agrada a muitos


                        Aquilo que agrada a muitos deve ter algo de bom. Ainda que não se entenda, que se aproveite. A singularidade é sempre odiosa e quando está errada, é ridícula. Desacredita mais o autor da crítica do que o seu objeto, deixando-o sozinho com seu mau gosto. Aquele que não sabe discernir o que há de bom nas coisas deve dissimular sua inteligência limitada. Não se deve criticar sem consideração: o mau gosto normalmente nasce da ignorância. O que todos dizem ou é, ou será.




              Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida




                                Para saber das suas intenções. Se as causas são conhecidas, se conhecem as  e conseqüências delas e se deduzem as intenções. O pessimista é agoureiro, e o maledicente sempre encontra  culpas. Sempre imaginam o pior. Como não vêem as coisas boas do presente, anunciam o mal futuro. O apaixonado vê as coisas diferentes do que são, porque é movido pela paixão, não pela razão. Cada um fala segundo suas preferências e seu humor, e todos estão longe da verdade. É preciso decifrar os rostos e  interpretar os sinais da alma, Assim se conhecerá o tolo porque está sempre rindo e o falso porque nunca ri. Cuidado com o perguntador, seja porque é indiscreto, seja porque se fixa nos defeitos. Não espere muito dos feios, porque costumam se vingar da natureza por tê-los favorecido tão pouco. A tolice é diretamente proporcional à beleza.



                         Moderação no julgar



                                        Cada um pensa conforme lhe convém e apresenta razões para suas caprichosas opiniões. A maior parte dos homens põe a paixão na frente do juízo. Quando duas pessoas sustentam posições contrarias, cada uma pensa ter razão. Mas a razão é fiel e não tem duas caras. O sábio deve agir com cautela em assuntos tão delicados, e sua própria dúvida irá corrigir o julgamento inicial sobre o comportamento alheio. Ao se colocar no lugar do outro e examinar seus motivos, não condenará nem se justificará tão cegamente.










Ser um pouco negociante

                         A teoria deve estar unida à prática. É fácil enganar um sábio, porque conhece até o mais extraordinário, mas ignora o mais necessário, as coisas comuns da vida. O estudo do mais sublime não deixa lugar para o mais simples. Ignoram o primeiro que deveriam saber, o que todos dominam. Por isso, ou são admirados ou são considerados ignorantes pelas pessoas superficiais. O homem sábio deve tentar ser um pouco negociante, o suficiente para não ser enganado nem objeto de riso. Que seja prático, pois, ainda que isso não seja o ponto alto da sua vida, é muito útil. De que serve o conhecimento se não é prático? O verdadeiro saber de hoje é saber viver!


Baltasar Gracián- A Arte da prudência



          Não se deixar levar pela primeira impressão

                       Alguns se casam com a primeira informação: as outras são concubinas. E, como a mentira sempre se adianta, a verdade não tem lugar depois. Nem a vontade, nem a inteligência devem se satisfazer com a primeira impressão: indica pouca profundidade. Algumas pessoas são como uma vasilha nova, que fica impregnada com o primeiro cheiro, tanto do mau licor como do bom. É perigoso que os outros conheçam essa limitação, pois dá margem a estratagemas maliciosos. Os mal-intencionados se antecipam e se pintam da cor da credulidade. Sempre deve haver lugar para um segundo exame. Deixe uma porta aberta à segunda e à terceira informações. Impressionar-se facilmente demonstra incapacidade e está próximo da paixão


Baltasar Gracián- A Arte da prudência

Conhecer seu pior defeito

                             Ninguém vive sem o contraponto da melhor qualidade. Se o pior defeito for favorecido, ele nos dominará como um tirano. Devemos declarar-lhe guerra. O primeiro passo é descobri-lo: conhecido será vencido. Para ser senhor de si, é preciso refletir sobre si mesmo. Vencido esse defeito, os outros acabarão.


                                   Saber retirar-se                          
           58
Na casa da sorte,quem entra pela porta do prazer sai pela porta da tristeza, e vice-versa. Atenção ao desfecho: deve-se estar mais  atento a um final feliz do que a uma entrada triunfal. É freqüente que as pessoas de sorte tenham inícios favoráveis e fins trágicos. O que importa não é receber aplausos na entrada- o que é muito comum-, mas continuar a ser aplaudido na saída, fazer falta ao partir, o que é mais raro. Poucas vezes a sorte acompanha os que saem: é educada com os que chegam e descortês com os que se vão.
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=12595082

Baltasar Gracián- A Arte da prudência


Começar com cuidado                                                69

A tolice sempre entra de roldão, pois todos os tolos são audazes. A mesma estupidez que os impde de perceber o perigo depois não lhes deixa ter a sensação de fracasso. Mas a prudência chega com grande tato. A observação e a cutela sãos seus batedores, abrindo caminho para que possa avançar sem perigo. Qualquer ação irrefletida está condenada pela discrição, ainda que às vezes se salve pela sorte. A sagacidade deve estudar o terreno e a prudencia conduzir à terra firme. Hoje há muitos perigos no trato humano e convém explorar o caminho com cuidado.

Um pouco de audácia                                128

É preciso moderar a idéia que se tem dos outros para não colocá-los tão alto que se passe a temê-los. Que a imaginação nunca vença ao coração. Alguns parecem importantes até que se comece a lidar com eles. O contato, com freqüência, provoca mais decepção que amizade. Ninguém excede os curtos limites do ser humano: cada um tem um senão, uns na inteligência e outros no caráter. A posição social proporciona  uma autoridade aparente que quase nunca é acompanhada de verdadeira autoridade. A sorte costuma castigar quem ocupa grandes cargos com méritos inferiores. A imaginação sempre aumenta e pinta  as coisas mais importantes do que são: não  mostra apenas o que há, mas o que poderia haver. A razão, curtida pela experiência, deve corrigir isso. A tolice não pode ser atrevida, nem a virtude, temerosa. Se a audácia é útil aos tolos, será ainda mais aos sábios e corajosos.





Não seguir nunca, por obstinação, o pior partido...  109


                   Só porque o competidor se adiantou e escolheu o melhor.
 Assim, você começa a luta já vencido, e depois será necessário render-se.
 O bem nunca se vingará com o mal.
O oponente foi astuto ao antecipar-se escolhendo o melhor, e você seria tolo ao tomar o pior partido para se defender.
 Ser teimoso nas ações  é mais perigoso do que em palavras porque corre-se mais riscos ao fazer do que ao falar.
É estupidez própria dos obstinados, não se dar conta da verdade nem da utilidade, por estarem mais preocupados em contradizer e lutar.
O homem prudente está sempre do lado da razão , não da paixão.
 Ou ele se previne ou corrige depois a rota.
Se o oponente é tolo, a própria insensatez o fará mudar de lado, mesmo que seja para tomar o pior partido.
 Para fazê-lo abandonar a melhor posição, o único remédio é aderir à sua escolha.
A tolice e a teimosia farão com que abandone a causa e o levarão à ruína.





Não competir com quem não tem nada a perder  123



A luta seria desigual.
O outro começa com desembaraço porque perdeu até a vergonha.
Não tem mais o que perder, por isso se lança de cabeça em qualquer despropósito.
 Nunca exponha sua inestimável reputação a um risco tão cruel . Conquistá-la levou muitos anos para perdê-la em assuntos sem importância.
Um mau vento pode gelar o suor do esforço.
 Por ter muito a perder, o homem honesto se detém.
 Preocupado com sua reputação, observa o oponente e age com cautela para colocar o prestígio a salvo.

Nem sequer com a vitória pode-se ganhar aquilo que se  perdeu ao se correr o risco de perder.






Vencer a inveja e a maldade



É prudente desprezar a inveja, mas a indiferença não vale o mesmo que a gentileza. Não há aplausos suficientes para quem fala bem daquele que fala mal. 
Não há vingança mais nobre que vencer a inveja com méritos e glória do outro é um inferno.
 Este é o maior castigo: fazer da sua felicidade um veneno para o adversário.
O invejoso não morre uma vez só, mas tantas quanto o invejado for aplaudido.
 A eternidade da fama de um compete com a dor do outro: os dois são imortais, aquele nas suas glórias e este nas suas penas. O clarim da fama soa para anunciar a imortalidade de um e divulga a morte do outro, condenando-o à forca da inveja.

qualidades.
 Cada sucesso aumenta o tormento do invejoso. P
ara o rival a



Saber um pouco mais e viver um pouco menos





                                           Há quem pense o contrário. Melhor é o ócio bem empregado do que o negócio. Tudo o que possuímos é o tempo, único bem de quem não tem nada. A vida é preciosa demais para ser desperdiçada tanto em trabalhos mecânicos quanto em excesso de tarefas sublimes. Não devemos nos sobrecarregar nem de ocupações, nem de rivalidades: isso é maltratar a vida e sufocar o ânimo. Alguns acreditam que também se deve evitar o saber, mas, se não se sabe, não se vive.




  BALTASAR GRACIÁN 

Textos e  ALFANUMERICO

Agir com intenção, com primeira e segunda intenções 28
A sabedoria e a honestidade 30
A arte da sorte 35
A arte de viver muito 78
Agir somente se não houver duvidas 79
Caráter e inteligência 19
Criar  expectativas 20
Cercar-se de pessoas inteligentes 29
Conhecer os felizardos para acolhe-los, e os azarados para evita-los 42
Conhecer sua melhor qualidade 43
Cuidado com a antipatia 48
Cuidado para que as coisas saiam bem 61
Começar com cuidado 69
Cultura e refinamento 77
Conhecer a natureza dos empregos 85
Capacidade inescrutável 81
Conquistar a boa vontade dos outros 89
Condição elegante 99
Conhecer seu pior defeito 145
Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida 161
Dar as coisas seu devido valor 44
Estar no auge da perfeição 23
Evitar as vitórias sobre  o chefe 24
Encontrar o ponto fraco de cada um 38
E melhor intenso que extenso 39
Escolher um modelo elevado 66
Fugir dos assuntos difíceis e perigosos 49
Homem universal 80
Metade do mundo ri da outra metade, e ambas são tolas 83
Moderação no julgar 163
Natureza e arte, matéria e elaboração 27
Não começar com muita expectativa 33
Não ter defeitos 37
Nunca perder o respeito por si mesmo 52
Nunca perder a compostura 53
Não ser vulgar em nada 40
Nunca exagerar 46
Não ser inacessível 65
Não ficar de brincadeiras 67
Não ser cansativo 86
Não demonstrar satisfação consigo mesmo 87
Não esperar o sol se pôr 88
Nunca competir 91
Não ser registro dos erros alheios 97
Não se enganar sobre a condição das pessoas 114
Saber tirar proveito das amizades 115
Nem amar nem odiar para sempre 143
Não explicar as idéias com demasiada clareza 155
Não  se deixar levar pela primeira impressão 146
Na ser somente dócil 151
Não  começar a vida  por onde se deve terminar 153
Não se descuidar nunca 157
Não ser o único a criticar o que agrada a muitos 159
Não fingir, mas agir 164
Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar 26
Variar o modo de agir 31
O esforço e a capacidade 32
O homem em seu tempo 34
O homem de valores profundos 50
O saber e o valor contribuem em conjunto par a grandeza 21
O fracasso está em unir apreço e afeto 162
Permitir-se pequenos deslizes 74
Previnir os boatos 76
Preparar-se para os tempos de crise 90
Pensar duas vezes 100
 Perseguir a vitória 150
Pessoas de grandes e majestosas qualidades 165
Renovar o brilho 73
Ser pessoa de conversa agradável e saborosa 36
Ser integro 41
Sorte e fama 25
Saber se retirar quando se está ganhando 45
Sentir e expressar-se 47
Tornar-se indispensável 22
Ser sensato e observador 51
Ser diligente e inteligente 54
Saber esperar 55
Saber improvisar 56
Refletir é mais seguro 57
Saber retirar-se 58
Saber evitar os desgostos 59
Saber negar 62
Ser equilibrado por inclinação natural ou por gosto 63
Ser decidido 64
Saber adaptar-se 68
Temperamento jovial 70
Ter cautela ao informar 71
Saber usar os inimigos 75
Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro 160
Saber manter a expectativa 82
Saber a qualidade que falta 149
Ter ações dignas de rei 84
Tratar sempre com pessoas de princípios 92
Ganhar fama de cortês 93
Ser prático na vida 94
Ser elegante no falar e no agir 95
Saber um pouco mas e viver um pouco menos 152
Saber esquecer 156
Ser um pouco negociante 147
Transformar em prêmios as dividas de gratidão 148
Tolo não é aquele que comete uma tolice, mas o que não sabe disfarçá-la 98
Tirar partido da novidade 158
Usar os meios humanos como se os divinos não existissem, e os divinos, como se não existissem os humanos 154
Viver sem afetação 96


















Índice numérico
Caráter e inteligência 19
Criar  expectativas 20
O saber e o valor contribuem em conjunto par a grandeza 21
Tornar-se indispensável 22
Estar no auge da perfeição 23
Evitar as vitórias sobre  o chefe 24
Sorte e fama 25
Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar 26
Natureza e arte, matéria e elaboração 27
Agir com intenção, com primeira e segunda intenções 28
Cercar-se de pessoas inteligentes 29
A sabedoria e a honestidade 30
Variar o modo de agir 31
O esforço e a capacidade 32

Não começar com muita expectativa 33
O homem em seu tempo 34
A arte da sorte 35
Ser pessoa de conversa agradável e saborosa 36
Não ter defeitos 37
Encontrar o ponto fraco de cada um 38
E melhor intenso que extenso 39
Não ser vulgar em nada 40
Ser integro 41
Conhecer os felizardos para acolhe-los, e os azarados para evita-los 42
Conhecer sua melhor qualidade 43
Dar as coisas seu devido valor 44
Saber se retirar quando se está ganhando 45
Nunca exagerar 46
Sentir e expressar-se 47
Cuidado com a antipatia 48
Fugir dos assuntos difíceis e perigosos 49
O homem de valores profundos 50
Ser sensato e observador 51
Nunca perder o respeito por si mesmo 52
Nunca perder a compostura 53
Ser diligente e inteligente 54
Saber esperar 55
Saber improvisar 56
Refletir é mais seguro 57
Saber retirar-se 58
Saber evitar os desgostos 59
Cuidado para que as coisas saiam bem 61
Saber negar 62
Ser equilibrado por inclinação natural ou por gosto 63
Ser decidido 64
Não ser inacessível 65
Escolher um modelo elevado 66
Não ficar de brincadeiras 67
Saber adaptar-se 68
Começar com cuidado 69
Temperamento jovial 70
Ter cautela ao informar 71
Renovar o brilho 73
Permitir-se pequenos deslizes 74
Saber usar os inimigos 75
Previnir os boatos 76
Cultura e refinamento 77
A arte de viver muito 78
Agir somente se não houver duvidas 79
Homem universal 80
Capacidade inescrutável 81
Saber manter a expectativa 82
Metade do mundo ri da outra metade, e ambas são tolas 83
Ter ações dignas de rei 84
Conhecer a natureza dos empregos 85
Não ser cansativo 86
Não demonstrar satisfação consigo mesmo 87
Não esperar o sol se pôr 88
Conquistar a boa vontade dos outros 89
Preparar-se para os tempos de crise 90
Nunca competir 91
Tratar sempre com pessoas de princípios 92
Ganhar fama de cortês 93
Ser prático na vida 94
Ser elegante no falar e no agir 95
Viver sem afetação 96
Não ser registro dos erros alheios 97
Tolo não é aquele que comete uma tolice, mas o que não sabe disfarçá-la 98
Condição elegante 99
Pensar duas vezes 100




Nem amar nem odiar para sempre 143
Conhecer seu pior defeito 145
Não  se deixar levar pela primeira impressão 146
Ser um pouco negociante 147
Transformar em prêmios as dividas de gratidão 148
Saber a qualidade que falta 149
Perseguir a vitória 150
Na ser somente dócil 151
Saber um pouco mas e viver um pouco menos 152
Não  começar a vida  por onde se deve terminar 153
Usar os meios humanos como se os divinos não existissem, e os divinos, como se não existissem os humanos 154
Não explicar as idéias com demasiada clareza 155
Saber esquecer 156
Não se descuidar nunca 157
Tirar partido da novidade 158
Não ser o único a criticar o que agrada a muitos 159
Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro 160
Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida 161
O fracasso está em unir apreço e afeto 162
Moderação no julgar 163
Não fingir, mas agir 164
Pessoas de grandes e majestosas qualidades 165



                                                        O invejoso
                                      
                                     O invejoso sofre mais pelo que os outros tem, do que pelo que lhe falta.
                                      É comum, sentir uma diferença no olhar do interlocutor quando lhe bate uma ponta de inveja. É bom que se diga, que nem toda a inveja e ruim ou tem maldade.
                                      Existe um tipo de inveja que demonstra admiração, satisfação, simpatia pelo sucesso material ou não que as pessoas conseguem e que se lhes diferencia de alguma forma. É motivo de satisfação invejar as pessoas inteligentes, bem sucedidas, elegantes e bonitas, o que de alguma forma ajuda com que nos de vontade de ser como elas, alcançando o mesmo sucesso.
                                       Existe entretanto uma inveja, que como se diz, mata. É aquela que esta na popular frase: inveja de doer, ou inveja de matar. Essa inveja, ao invés de ser positiva, como a outra, destrói, amarga, incita a comentários pouco construtivos, para não dizer maldosos, impiedosos e quase sempre mentirosos.
                                        Essa inveja é um desvio de caráter e como tal, inaceitável no convívio entre amigos ou pessoas que querem se relacionar bem. Como no caso do malandro, só existe uma maneira de não ser prejudicado pelo invejoso. É guardar distância prudente e se possível for, suficiente para estar longe dos seus olhos e comentários.                                                        
                                         O sujeito que tem mania de que todos sentem inveja dele, e na verdade um invejoso.
                                         Dizem, que a inveja transmite fluidos negativos e que podem prejudicar alguém. Acredito que isso seja possível, na mesma medida em que é ruim andar com as pessoas que tem defeito de caráter, ficando bem difícil sermos de qualquer forma afetados quando guardamos distancia prudente desse e de qualquer tipo de mau caráter. Além disso, está mais do que provado de que todo o bem ou mal que emanamos a nos volta potencializado e é por isso que as pessoas invejosas quase sempre são mal sucedidas em uma ou todas as coisas importantes da vida.
                                          Como sempre ouvimos falar, principalmente das pessoas mais experientes, ou que nos querem bem, diz me com quem andas e eu direi o que te espera.
                                          O prêmio ou o castigo das pessoas é serem como elas são.

                                                                                          Marinho Guzman           


                            
   O bom senso, a experiência e a sorte.


                                               Quantas vezes você já olhou para um cara e disse para você mesmo... que sorte...
                                                É, o cara estava numa situação privilegiada.
                                              Puta carro, mulher bonita, embora passado dos quarenta anos o cara era bonitão, sem barriga, nada de muito músculo nem afetação para falar,a andar ou vestir.
                                               Você sentiu vontade de estar no lugar dele e invejou, no bom sentido a sorte do cara.
                                                Do outro lado, o cara olhou para você, que o observava e já sabia que você estava querendo a posição dele na boa, sem inveja, com uma admiração gostosa de quem se sentia na direção da Mercedes, abraçado com a loira, numa praia gostosa ou num restaurante caro.
                                                É quase certo que o cara esteja nessa situação por mérito, com certeza teve muita sorte e quase sempre fez boas escolhas na vida e no trabalho usando de inteligência e bom senso.
                                               Claro que existem indivíduos inescrupulosos, ladrões, corruptos e marginais de toda a sorte que também gostam de boa vida. Mas a maioria deles cedo ou tarde vais ser encontrado nas páginas policiais, nas celas das cadeias ou pagando um micão de qualquer outra natureza, como
suborno à policia e advogados caríssimos, que o deixarão mais duro do que você. 
                                                Bem, o meu caso é o da inteligência, trabalho, bom senso, boas escolhas e muita sorte.
                                                Por isso, cara, não faça mau juízo de quem você não conhece e lute para conseguir as coisas de que você gosta.
                                                É a única maneira de você levar uma vida boa sem ficar preocupado com a opinião dos outros, a inveja predadora e os malefícios que vão sempre ao encontro e de encontro a quem não tem experiência suficiente para saber que não se deve...
                                     JULGAR  NINGUÉM  PELA  APARÊNCIA...

                      Abraço.          
     
                                                                      Marinho Guzman

             
A MANEIRA MAIS RÁPIDA DE ACABAR COM         OS POBRES  É   ENFRAQUECENDO OS RICOS.

                          Não fui eu quem criou a frase título. Pouco importa quem criou, o importante é que ela traz uma mensagem ignorada pela maioria dos políticos que tem tentado e conseguido alterar, para pior, a marcha natural da civilização.
                           Não se pode negar  que a humanidade, o Cristianismo,   as religiões, no patamar que ocupam, tem perdido a batalha contra a fome, a ignorância e a opressão. Quanto mais rápida a comunicação e o progresso tecnológico, tão mais demorada e cruel a exclusão dos pobres e esquecidos.
                          As cenas da Etiópia, da Bósnia e do  Brasil miserável se igualam, na vergonha que sentem os homens que não participam nem compactuam com a ladroagem institucionalizada, patrocinadas não só pelos bancos, mas principalmente pelos políticos que fazem, ou deveriam fazer e cumprir as leis que poderiam, no decorrer dos tempos diminuir as diferenças entre as classes sociais.
                          Mas, esse cenário é só pano de fundo. No momento em que o comércio de Guarujá está enfraquecido por todas as crises, a saber, a internacional, a nacional e a local, quem mais sofre e mais sofrerá serão sempre, sem dúvida  os mais pobres.
                          As primeiras contas que os comerciantes deixam de pagar, quando não há dinheiro no caixa são os impostos e os encargos sociais, em que pese ser crime reter essas importâncias, direitos indiscutíveis dos empregados. Em seguida, deixam de pagar os próprios  salários, situação que culmina com a dispensa do empregado e não raro com a quebra do comerciante.
                         Onde erra  a administração municipal no caso? Preocupada com a reeleição e com a picuinha política que enfrenta com a oposição, prioriza asfaltar umas ruas de bairros pobres, ainda que sem esgotos e sem galerias pluviais, para fotografar uma conquista inglória do pobre, do humilde, ao invés de patrocinar o estudo da real situação da cidade, face às mudanças econômicas e às novas ofertas de lazer, em um sem número de outras cidades de veraneio e turismo do  país e do mundo.
                           É voz comum que o Guarujá não é o mesmo. Nem são  os mesmos o Rio e Janeiro, Mônaco, Paris e nem a Grécia. Mudaram os turistas, mudaram os roteiros turísticos, o dinheiro mudou de mãos e a mentalidade tacanha dos políticos, dos dirigentes e dos próprios comerciantes da nossa cidade continuam na época da Pérola, atirada aos porcos,  perdida no meio de um bando que ignora as leis de mercado, de que é preciso fortalecer os pequenos empresários para gerar empregos e recursos que serão aí sim, canalizados para as obras sociais. De nada adianta dar asfalto ao pobre quando  falta dinheiro para a comida e o remédio.
                      Ao ignorar nos três anos de sua administração os comerciantes e os proprietários dos imóveis que movimentavam a cidade, só se  fez atrasar a recuperação da imagem da cidade, do comércio e com certeza não se terá enganado o pobre, que na primeira grande chuva vai perceber que a fina camada de asfalto encobre a falta de esgoto e a lama que enxovalha essa cruel exclusão dos pobres pelo enfraquecimento dos novos pobres, os outrora ricos...

                                                Marinho Guzman    

O    BABACA  QUE GOSTARIA DE SER PETER PAN...




                              Se eu disser que sei exatamente o que está acontecendo, vou cair no mesmo problema que deve afetar muita gente. Tecer ilações.
                              Tecer ilações a respeito de alguém ou alguma coisa pode ser muito interessante para escritores de romances, mentirosos patológicos ou invejosos do primeiro time.
                              Os romancistas tem de criar uma história que prenda a atenção dos seus leitores e para isso além de colocá-la no tempo e no espaço, precisam fazer com que cada um dos personagens assuma uma personalidade. 
                             Os mentirosos patológicos só conseguem se colocar nas histórias reais ou não, arquitetando planos mirabolantes onde sua própria personalidade doente, possa interagir com personagens criados e pessoas reais. 
                              Os invejosos podem ser catalogados como indivíduos onde a falta de caráter temporária  ou definitiva levam-nos a fazer ilações, adaptar patologias, criar personalidades e fatos, atribuir qualidades ou a falta delas a outrem, em razão de não ter os atributos, qualidades ou bens materiais que gostariam de ter. 
                            A inveja é sempre uma admiração, um amor por alguém, que não pode ser demonstrado, pela falta de coragem em assumir posturas que o invejado tem. 
                            O invejoso é quase sempre um indivíduo reprimido, seja pela falta de alguma coisa, por sentir-se diminuído em relação aos outros que as possuem, ou pelo simples fato de não admitir que outras pessoas possam ter méritos, que ele gostaria de ter e não tem.
                              Os indivíduos invejosos mais novos, na faixa de idade que vai até a pós adolescência, lá pelos 20 anos, invejam dos mais velhos, principalmente a maturidade e a experiência, isso porque esses atributos os tornam mais sábios e mais desejáveis, principalmente os homens, pelas fêmeas de todas as idades.
                             Raramente se vê mulheres mais velhas com homens mais novos.         
                             Está  provado, que grande parte dos homens mais 
novos, tem problemas sexuais psicológicos de ansiedade, que os levam a ejaculação precoce e até a impotência. 
                            Quando esses problemas masculinos se mesclam com a inexperiência das mulheres mais novas, menos esclarecidas e muitas vezes tolhidas por uma criação paternalista, o que se vê, é a insatisfação sexual da dupla, o que atira a mulher aos braços dos homens mais velhos, mais experientes e sexualmente maduros...
                    Voltando às ilações e ao texto de um cara que teimo em chamar de babaca, mesmo sabendo que falta muito para ele alcançar esse patamar, tenta imputar à categoria dos homens mais velhos, que tem quase tudo que se pode almejar, a síndrome de Peter Pan.
                     Em poucas palavras, essa síndrome levaria os indivíduos a não desejarem envelhecer e se tornarem eternamente jovens.
                     Ora, tecer ilações ao comportamento de alguém que não se conhece, imputando-lhe essa ou qualquer outra síndrome, só pode ser coisa de gente imatura, louca, ou de um invejoso, que vê no comportamento de um homem maduro, o jovem que ele não é nem nunca poderá ser. 
                    Apesar de ver e saber que  é  sonho, de qualquer indivíduo, ter uma vida saudável, cercada dos maiores prazeres, bens materiais, cultura e ... cheia de juventude, o babaca teima em demonstrar sua inveja, imputando possíveis defeitos de caráter em quem não conhece.
                  Ao chamar de velhinho, ao sugerir que suas companhias sejam pagas, ao imaginar que a pessoa não tenha família, ao mentir e tornar alguém personagem das suas fantasias, com a única finalidade de poder colocar-se num cenário a que não pertence e acredita ser impossível de alcançar, o babaca  desmorona na estória pífia, de um adolescente perdido. 
                   Entre as responsabilidades do mundo adulto, que não conhece, a falta de realização de seus ideais profissionais que não sabe administrar,  e um futuro incerto com uma outra criança, essa do sexo feminino, junta mais dúvidas do que certezas, a um mundo que deveria ser o de Peter Pan, Cinderela, O Gato de Botas e ...Pinóquio!
                  Creia...o maior castigo do babaca é ser reconhecido numa história, nem que seja como o Pinóquio.

                                          Leão da Praia
               


                    

         LEMBRANÇAS    DE     UMAS    PUTAS ALEGRES...



  Às vezes parece que eu ainda bebo...



Vira e mexe, eu vejo uma puta arrependida escrever a respeito da possível vida triste, das moças alegres...
Puta só deveria ser arrependida, se ainda estivesse na flor da idade e fosse rica.


 Puta pobre, Deus me livre, puta pobre e velha, Deus me valha!

 Então, o que resta são umas putas arrependidas, de nem isso terem feito com sucesso na vida.

Já dizia Oscar Wilde  “ a vida é importante demais para ser levada a sério”.


  Puta que leva a vida à sério não é, não foi e nunca será uma puta séria, como dizem uma puuuutaaa puta!

  Ser puta é prerrogativa única, exclusiva das mulheres escritoras ou não.       

 Provavelmente, cada uma tem uma ou muitas razões, para optar  pela dita mais antiga profissão.

Talvez seja a tradição, o exemplo bíblico ou mesmo uma questão de hereditariedade.  
Conheço umas putas, que são putas, porque adoram ser putas!

 Pode-se  dizer que ser puta é gozado,  ou gozada...  e  atire a primeira pedra aquele que acha que puta nunca goza...
  Aliás, já dizia o Tim Maia, que o Brasil não é um país sério, não é um pais sério. Cafetão se apaixona, traficante cheira e puta goza.

No mínimo, goza na cara ou goza da cara, de uns, que no meio de uma ejaculada precoce, ou por  ter o pau pequeno, podem ter achado  que poderiam pagar meia.

                     Voltando à putaria, um dia eu tive uma namorada que vivia reclamando das minhas escapadelas.

Perguntou-me  se no caso as mulheres teriam o mesmo direito.

                    Minha saída imediata foi dizer:

                  - Pois é, sou um puto e se você quiser o mesmo direito é só ser puta!


Nunca  mais se falou no assunto putaria.

Então é isso. A alegria ou a tristeza de ser puta, está íntima e proporcionalmente ligada ao tipo de putaria, desempenhada pela puta.

                    Puta alegre é aquela que faz com gosto, com amor, caprichando.           
                    Putas tristes  são as mal amadas, aquelas  que não sabem fazer com um limão uma limonada. 
                    As más profissionais, que foram putas tristes, seriam esposas frígidas, péssimas deputadas, médicas displicentes e  esposas acomodadas.

Tem também umas putas ativistas. Não quero dizer ativistas são putas!



Nada a ver puta arrependida, com mulher que mudou de vida.          

                  Um dia eu escrevo de tantas de mudaram de vida e se arrependeram...

                      Ás vezes parece que eu ainda bebo...






                            Leão da Praia em madrugada de putaria...

   









                     \

A PALAVRA E O SONHO


Artigo de Rodolfo Konder


                     
                           As palavras escritas frequentemente escoiceiam as verdades oficiais, como cavalos alados. Mordem os torturadores, atacam os corruptos e os burocratas, conduzidas pela ética de quem as organiza. Além disso, nos fazem sonhar; abrem portas, janelas, cofres alçapões e caixas de Pandora; permitem que as flores nasçam em pleno asfalto; transformam o naufrágio da velhice num tempo de ventura, quando restam apenas “o homem e a alma”. As palavras escritas nos levam à Dinamarca ou nos transportam sobre as águas geladas do Báltico; percorrem conosco a veredas do Central Park, cobertas pelas folhas de um outono tardio; hospedam-nos num  maravilhoso castelo do século 14, em West Sussex, junto à um cemitério; revelam nos os mistérios dos maias e dos tehotihuacanos, dos toltecas e dos babilônios, dos minoicos e dos astecas; descem suavemene como a neve sobre os vivos  e os mortos; desvendam os segredos do passado- “ este quimérico museu de formas inconstantes”- e antecipam as vertigens do futuro; iluminam Paris e Jerusalém; despertam paixões, ressuscitam os mortos e desafiam os poderosos. Elas são mágicas e possuem poderes ilimitados, orientadas pela estética de quem as organiza.
                            Há pessoas que sonham - e vão buscar nas palavras o meio de manifestar seus sonhos. Num delicado trabalho de ourivesaria, elas selecionam frases, fazem o polimento das concordâncias, montam parágrafos, para provocar emoções e despertar a imaginação dos seus leitores. Esses misteriosos seres, solitários e eternamente insatisfeitos, são chamados escritores . Este ano, eles estarão presentes, pessoalmente ou por intermédio dos seus textos, em dois grandes encontros, no Brasil: a Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, e o salão Internacional do Livro, em São Paulo.
                             Os escritores geralmente não sabem administrar bens nem lidar com dinheiro, não entendem a política cambial nem de juros acumulados. Às vezes, sofrem de insônia, pressão alta e enxaqueca. Vivem acossados pela insegurança- será que meu livro vai fazer sucesso? Ficará encalhado? Você gostou do texto? Temem sempre os críticos, a rejeição dos leitores, e em certos países sombrios, a espada cega e implacável da censura. Mas essas criaturas de aparência frágil tornam a vida muito mais intensa, fazem das palavras um instrumento de magia, distribuem sonhos e emoções.
                               Os regimes autoritários sempre odeiam quem escreve. Na América Latina , por exemplo, poetas, romancistas, críticos e jornalistas foram perseguidos, durante os chamados “anos de chumbo”. Nos países socialistas também, porque as “ditaduras do proletariado” temiam os escritores e o poder desarmado de suas palavras. Até hoje, isso acontece em Cuba, no Marrocos, na Líbia, no Iraque, no Afeganistão, na China e em outras nações que ainda não se encontraram com a democracia.
                                 Muitas vezes os escritores acabam na prisão. Mas a cadeia não é o único mal que se abate sobre eles. Há processos variados de intimidação, ameaças, isolamento, desemprego. Há também a censura, que os brasileiros já conheceram em diversos períodos da vida nacional. Durante a ditadura de Getúlio Vargas- o período conhecido como “Estado Novo”- tivemos um inesquecível exemplo da ação dos censores. Depois do golpe militar de 1964, também fomos obrigados a conviver com a censura, que se abateu sobre o País com uma praga, brandindo sua ignorância e sua truculência de forma implacável.
                                 Apesar de todos esses problemas, apesar de tantos obstáculos, os escritores escrevem. São teimosos, quase obstinados. Escrevem sempre, mesmo na penumbra. Até na escuridão, escrevem e nos iluminam. Com o seu ofício, eles nos ensinam, nos enternecem, nos emocionam, nos humanizam, nos aprimoram. E nos fazem sonhar.
                                    Num tempo já quase esquecido e tornado mítico, William Sheakespeare escreveu “ somos feitos da mesma matéria que são feitos os sonhos.” O sonho, portanto, é o nosso ponto de partida- e o nosso ponto de chegada. Talvez até nos acompanhe na viagem derradeira ao outro lado do tempo. “Morrer, dormir, quem sabe, sonhar...”, sugeriu o próprio Shakeaspeare, um escritor que, mesmo morto, ainda nos oferece sonhos fantásticos, com seus textos imortais.

RODOLFO KONDER, jornalista e escritor, foi secretário municipal de cultura de São Paulo  

  


 Razão e verdade



                               Palavras conhecidas, bastante empregadas, às vezes erroneamente confundidas. 

                               Muitas vezes temos  razão e não temos a verdade. Isso porque, a razão não é única, duas pessoas podem ter razão e só uma é  a verdade. Não a aparência da verdade, mas a verdade.
                                Quando discutimos  com alguém, quando expomos os nossos argumentos e existe razão nos nossos motivos, muitas vezes estamos enxergando mais ou só, a importância dos fatos que nos convém. A outra parte pode ter também razão nos seus argumentos, e se estiver vendo só a importância do que lhe convém, não haverá possibilidade de acordo. Temos que aprender a buscar a verdade e não a aparência da verdade ou  simplesmente a razão.
                                 Quando enfatizamos tanto a razão, que a confundimos com a verdade, estamos nos enganando e nos magoando mais do que aos outros pois a luta  de quem  acha que tem razão leva mais ao desespero do que aquele que luta por alguma coisa que pode ou não  estar certo ou errado, aquele que não tem a certeza de estar com a verdade.
                                   Muito se ouve falar na possibilidade de opinar  sobre o impasse de quem tem razão. Ora, pode até importar quem tem razão, quando alguém não a tem. Como resolver  impasses como a questão do jogo e do bingo e uma infinidade de outros, onde mais de um está com a razão? A  resposta é a verdade. Não  uma verdade parcial ou provisória, é preciso  buscar a verdade à luz da razão.
                                    O intuito deste, é  entender, que todos nós sabemos quando e quem tem as suas razões. Não estamos procurando as razões ou quem as tem ou não tem. Estamos procurando a verdade, que é o único caminho a seguir.
                                    A verdade é única, tarda mas aparece e  quase sempre pune todos que dela fugiram, pune é verdade, alguns mais do que outros. Alguns com a tristeza de não ver a concretização dos seus ideais,  outros com a impossibilidade de exercerem cargos ou funções, uns com a pecha de ladrões, outros só com a triste lembrança para seus filhos e netos de que foi um malandro, corrupto ou no mínimo incompetente.
                                    Furtar-se das obrigações legais, esconder-se atrás de razões que todos temos para alegar, quando não queremos fazer alguma coisa, é fugir da verdade, é priorizar a má vontade, é procurar sempre alguém que tenha mais obrigação do que nós, para fazer algo que precisa ser feito, seja por Pedro ou por Paulo, irmãos na obrigação de fazer, sem ter nenhuma importância as razões que cada um tenha para não fazer.
                         O Presidente Lula tem razão. Não se pode legalizar qualquer coisa como o jogo, o crime e  a prostituição infantil em nome da criação de empregos.
                         Os empregados dos bingos tem razão, não podem perder seus empregos em nome de uma falsa moral que os fará mergulhar na miséria.
                         Os donos de bingo tem razão, não se pode truncar uma atividade econômica lícita como foram os bingos, em nome da  moralização de uma parte da maquina administrativa criminosa  .
                         Os religiosos tem razão, o jogo tem levado a desgraça inumares famílias.
                         Os dirigentes esportivos tem razão, muito do dinheiro arrecadado pelos bingos foi bem empregado no esporte amador.
                        A Receita Federal tem razão, grande parte dos recursos que deveriam ser empregados no pagamento dos impostos e de outras obrigações dos bingos foram sonegados.
                          Os cidadãos tem razão quando alegam que lhes foi tirada uma das poucas diversões e que o ambiente do bingo salutar  e uma reunião de amigos, de pessoas que conversam e trocam boas idéias e risadas...
                           Se todo mundo tem razão, onde está a razão para o fechamento dos bingos? 
                           É preciso saber diferenciar a razão da verdade.
                           Todo mundo pode estar com a razão e como no caso em tela, ninguém está com a verdade.
                           A verdade é que o crime não está no bingo ou no jogo. O crime está na moral da má fiscalização, do mau empresário, do  mau dirigente,  que corrompe e é corrompido pela falta de pulso  da sociedade na escolha e na condução do Poder. 
                            Legislativo, Executivo e Judiciário cada um per si tumultuam as normas que deveriam regulamentar o jogo e o bingo como uma forma de comércio, divertimento e geração de recursos para o sistema tributário e para os fins sociais, para a criação e manutenção  de empregos.
                           Mais uma vez somos testemunhas de que ninguém quer acabar com o roubo nem com o ladrão. 
                           Todo mundo quer assumir uma postura do contra ou a favor e ninguém quer resolver o problema. 
                           O pai perde o seu sustento e o da família, os clubes perdem uma parcela que poderia incentivar a educação e o esporte o fisco deixa de recolher os tributos, o cidadão perde a oportunidade de divertir-se.


Esse é o tipo de razão que ninguém deveria ter porque todos perdem, principalmente A VERDADE .



  BALTASAR GRACIÁN  Textos e  ALFANUMERICO

Agir com intenção, com primeira e segunda intenções 28
A sabedoria e a honestidade 30
A arte da sorte 35
A arte de viver muito 78
Agir somente se não houver duvidas 79
Caráter e inteligência 19
Criar  expectativas 20
Cercar-se de pessoas inteligentes 29
Conhecer os felizardos para acolhe-los, e os azarados para evita-los 42
Conhecer sua melhor qualidade 43
Cuidado com a antipatia 48
Cuidado para que as coisas saiam bem 61
Começar com cuidado 69
Cultura e refinamento 77
Conhecer a natureza dos empregos 85
Capacidade inescrutável 81
Conquistar a boa vontade dos outros 89
Condição elegante 99
Conhecer seu pior defeito 145
Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida 161
Dar as coisas seu devido valor 44
Estar no auge da perfeição 23
Evitar as vitórias sobre  o chefe 24
Encontrar o ponto fraco de cada um 38
E melhor intenso que extenso 39
Escolher um modelo elevado 66
Fugir dos assuntos difíceis e perigosos 49
Homem universal 80
Metade do mundo ri da outra metade, e ambas são tolas 83
Moderação no julgar 163
Natureza e arte, matéria e elaboração 27
Não começar com muita expectativa 33
Não ter defeitos 37
Nunca perder o respeito por si mesmo 52
Nunca perder a compostura 53
Não ser vulgar em nada 40
Nunca exagerar 46
Não ser inacessível 65
Não ficar de brincadeiras 67
Não ser cansativo 86
Não demonstrar satisfação consigo mesmo 87
Não esperar o sol se pôr 88
Nunca competir 91
Não ser registro dos erros alheios 97
Nem amar nem odiar para sempre 143
Não explicar as idéias com demasiada clareza 155
Não  se deixar levar pela primeira impressão 146
Na ser somente dócil 151
Não  começar a vida  por onde se deve terminar 153
Não se descuidar nunca 157
Não ser o único a criticar o que agrada a muitos 159
Não fingir, mas agir 164
Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar 26
Variar o modo de agir 31
O esforço e a capacidade 32
O homem em seu tempo 34
O homem de valores profundos 50
O saber e o valor contribuem em conjunto par a grandeza 21
O fracasso está em unir apreço e afeto 162
Permitir-se pequenos deslizes 74
Previnir os boatos 76
Preparar-se para os tempos de crise 90
Pensar duas vezes 100
 Perseguir a vitória 150
Pessoas de grandes e majestosas qualidades 165
Renovar o brilho 73
Ser pessoa de conversa agradável e saborosa 36
Ser integro 41
Sorte e fama 25
Saber se retirar quando se está ganhando 45
Sentir e expressar-se 47
Tornar-se indispensável 22
Ser sensato e observador 51
Ser diligente e inteligente 54
Saber esperar 55
Saber improvisar 56
Refletir é mais seguro 57
Saber retirar-se 58
Saber evitar os desgostos 59
Saber negar 62
Ser equilibrado por inclinação natural ou por gosto 63
Ser decidido 64
Saber adaptar-se 68
Temperamento jovial 70
Ter cautela ao informar 71
Saber usar os inimigos 75
Se souber pouco na sua profissão, atenha-se ao mais seguro 160
Saber manter a expectativa 82

Não se enganar sobre a condição das pessoas 114

Este é o maior equivoco e o mais fácil de cometer. Mais vale ser enganado no preço que na mercadoria. Não há nada que exija um olhar mais profundo do que  a alma humana. Há diferença entre entender as coisas e conhecer as pessoas. Compreender a personalidade e distinguir os humores é alta filosofia. Tão necessário como estudar nos livros é conhecer a natureza humana.

Saber tirar proveito das amizades 115



É necessário sensatez, tato e inteligência. Alguns amigos são bons para ficar longe, outros perto. Aqueles que não são bons para conversas podem ser para a correspondência.  A distancia disfarça certos defeitos que a proximidade torna insuportáveis. Não se deve buscar apenas prazer nas amizades, mas também utilidade. O amigo é todas as coisas e deve ter as três qualidades do bem: unidade, bondade e verdade. São poucos os que servem para bons companheiros e não saber escolhê-los reduz mais ainda as possibilidades. Conservar as amizades é mais importante que fazê-las. Devemos buscar laços duradouros e considerar que os novos amigos poderão se tornar velhos um dia. Não há deserto comparável a viver sem amigos. A amizade multiplica os bens e divide os males. É o único remédio contra a adversidade e um alento para a alma.


Saber a qualidade que falta 149
Ter ações dignas de rei 84
Tratar sempre com pessoas de princípios 92
Ganhar fama de cortês 93
Ser prático na vida 94
Ser elegante no falar e no agir 95
Saber um pouco mas e viver um pouco menos 152
Saber esquecer 156
Ser um pouco negociante 147
Transformar em prêmios as dividas de gratidão 148
Tolo não é aquele que comete uma tolice, mas o que não sabe disfarçá-la 98
Tirar partido da novidade 158



                           Tirar partido da novidade



                            O apreço dura enquanto é novidade. Ela agrada a todos porque varia e refresca o gosto. Gosta-se mais de uma mediocridade nova do que de um prodígio conhecido. Até o que é excelente se gata e  envelhece. 
A gloria da novidade durará pouco, ao final de quatro dias perderá o respeito. Por isso, deve-se tirar todo o proveito do primeiro agrado fugaz. Se o valor da novidade esfria, acaba a paixão, e o gosto se converte em rejeição. Tudo tem seu momento e passa.

Baltasar Gracián- A Arte da prudência

Usar os meios humanos como se os divinos não existissem, e os divinos, como se não existissem os humanos 154
Viver sem afetação 96


                        APRENDER A USAR O DESPREZO


         Uma maneira astuta de conseguir as coisas é desprezando-as. Quando se procura por elas, elas não estão lá, e mais tarde, sem que tentemos, elas vêm correndo. As coisas terrenas são as sombras  das eternas, e se comportam como tal; fogem quando as perseguimos e nos perseguem quando fugimos delas. O desprezo é a mais política das vinganças. Uma máxima sábia: nunca se defenda com a caneta, pois ela deixa uma pista e glorifica os rivais, ao invés de puni-los por sua insolência. Os indignos sagazmente se opõem aos grandes homens: tentam ganhar fama de modo indireto, sem merecê-la de fato. Seriam desconhecidos se seus excelentes oponentes não fizessem caso deles. Não existe vingança maior que o esquecimento: enterrar os outros no pó da própria insignificância. Tolos descarados tentam tornar-se imortais incendiando as maravilhas do mundo. Uma maneira de calar falatórios  vulgares é ignorando-os. Contestá-los causa prejuízo. Dar-lhes crédito traz descrédito. Contra  a emulação, a complacência; pois a sombra do desdouro, ainda que não obscureça de todo a maior qualidade, diminui o brilho.

Baltasar Gracián




Saiba sair de cena




Saiba sair de cena.
 Uma das coisas que aprendi com pessoas de grande sabedoria é saber sair de cena, deixar o palco, sair da roda, mudar de assunto.Saber o momento exato de fazer com que os holofotes fiquem sobre os outros e não sobre você.
No mundo competitivo em que vivemos a sua presença "marcante" pode marcar demais. A sua idéia "brilhante" pode brilhar demais. A forma "inovadora" de pensar pode inovar demais.
E nem sempre as pessoas estão dispostas a deixar você brilhar impunemente. É hora de sair de cena.
Nem que seja por um tempo.
É preciso fazer os outros pensarem que você desistiu.
É preciso dar a chance das pessoas acharem que você não quer mais estar no palco.
Mas saber sair de cena é uma arte tão importante quanto saber entrar em cena.
Todo ator sabe disso. Assim, é preciso sair de cena com classe.
É preciso sair de cena com a discrição de um lorde inglês.
Quando as pessoas sentem-se ameaçadas por você e começam a ter respostas agressivas.




Uma das coisas que aprendi com pessoas de grande sabedoria
é saber sair de cena, deixar o palco, sair da roda, 
mudar de assunto. 
Saber o momento exato
de fazer com que os holofotes fiquem 
sobre os outros e não sobre você. 
No mundo competitivo em que vivemos
a sua presença “marcante” pode marcar demais. 
A sua idéia “brilhante” pode brilhar demais. 
A forma “inovadora” de pensar pode inovar demais. 
E nem sempre as pessoas estão dispostas
a deixar você brilhar impunemente. 

É hora de sair de cena. 
Nem que seja por um tempo. 
É preciso fazer os outros pensarem que você desistiu. 
É preciso dar a chance das pessoas acharem 
que você não quer mais estar no palco.
Mas saber sair de cena é uma arte tão importante
quanto saber entrar em cena. 

Todo ator sabe disso. 
Assim, é preciso sair de cena com classe. 
É preciso sair de cena com a discrição de um lorde inglês.
Quando as pessoas sentem-se ameaçadas por você
e começam a ter respostas agressivas desproporcionais, 
talvez seja a hora de sair de cena. 

Quando você,
sem ter desejado ou planejado, 
começa a aparecer muito na sua área de atuação ou 
no seu setor de trabalho,
talvez seja a hora de sair de cena por um tempo. 
Saber sair de cena é também saber mudar de assunto. 
Quando as pessoas vêm lhe perguntar
comentar sobre o seu sucesso, sobre seus bens materiais, 
seu possível enriquecimento, etc. 
querendo fazer você falar sobre você 
– é hora de mudar de assunto. 
É hora de sair de cena. 

Os sábios sabem
que você nada ganhará falando de você 
mesmo para os outros. 
Nem bem, nem mau. 
Mude de assunto. 

Saia de cena. 
Não caia nessa armadilha.
Quando o embate se dará com poderosos 
e você conhece o poder destrutivo desses poderosos, 
pense bem antes de entrar no combate. 

Talvez você ganhe mais saindo de cena. 
Deixe a briga de cachorro grande para grandes cães. 
Saiba sair de cena. 

Você terá outras oportunidades. 
Você ganhará outras batalhas com menos estresse, com menores esforços.
É preciso fazer um grande esforço de sabedoria
para saber quando sair de cena. 

É preciso ter uma grande capacidade artística 
para saber como sair de cena.
Será que temos tido a sabedoria  e a arte de sair de cena, 
deixar o palco, mudar de assunto, na hora certa, no momento exato ?

Pense nisso!

Sem estresse:

A hora de falar vem sempre depois da hora de ouvir !